6 Paraísos Naturais na Suíça

blog_titulo_suica

No nosso último post falamos sobre alguns países que não são boas opções de destinos para conhecermos em 2014. Mas hoje, o assunto é completamente o diferente. Quer saber um bom destino para a sua viajem? Que tal a Suíça? :)
A Suíça é um país europeu com mais de 7 milhões de habitantes, alguns deles são receptivos e outros já são um pouco mais grosseiros, mas de modo geral, valorizam bastante a educação, são bastante patriotas e respeitam a própria cultura. A arquitetura é agradável aos turistas e as paisagens rendem sempre belas fotos.
O Dublin Aqui Vou Eu foi atrás e trouxemos pra você que é amante da natureza, sete lugares na Suíça que são verdadeiros paraísos naturais. Confira!

 

06 – Oeschinensee
O Oeschinensee é um lago em forma de ferradura situado em Bernese Oberland e considerado parte do Patrimônio Mundial da UNESCO. Apesar de pequeno, com pouco mais de 1km², o lago está cercado de belíssimas paisagens e localizado a 1578m de altitude. As águas de cor azul turquesa refletem perfeitamente os picos das montanhas que estão ao seu redor. A partir de Kanderstag, os visitantes podem fazer um passeio de teleférico até o lago e aproveitar para tirar fotos de todos os ângulos possíveis.
06

 

05 – Rhine Falls
Formada ainda na era do gelo há mais de 14 mil anos atrás, a Rhine Falls não formam apenas as maiores quedas d’agua da Suíça mas sim as as maiores cataratas da Europa com 150 metros de largura e 23 metros de altura. Durante a alta temporada de verão, as cataratas derrubam mais de 700 mil litros de água por segundo em toda sua extensão. Os visitantes podem fazer um passeio de barco que vai até uma ilha localizada no coração das quedas d’água e sentirem de perto o poder das “Cataratas do Reno”.
05

 

04 – Aletsch Glacier
A Aletsch Glacier está localizada ao leste do Bernese Alps. São 23km de comprimento e mais de 120km² de largura que compõe a maior geleira dos Alpes de toda a Europa. Na verdade, alguns cientistas afirmam que essa é a única geleira do mundo composta por aproximadamente 27 bilhões de toneladas de gelo. A única maneira de se ter uma visão bem próxima dela é em um teleférico com vista para o Bettmerhorn e Eggishorn.
04

 

03 – Matterhorn
Ocupando a fronteira entre a Suíça e a Itália, a Matterhorn ergue-se orgulhosamente como a montanha mais alta dos Alpes com 4.478 metros. Com formato de pirâmide, a montanha possui quatro faces direcionadas exatamente para os quatro pontos cardeais principais. As faces são tão íngremes que é possível enxergar as geleiras que se formam na base de cada pico incluindo a geleira de Zmutt, a oeste. A Matterhorn não se destaca apenas por ser enorme, mas também por estar completamente isolada de outras montanhas e isso a faz parecer ainda mais majestosa, com sua característica única que é o pico levemente torto. Os visitantes podem chegar até a Matterhorn pelo lado da Suíça em Zermatt ou pelo lado italiano em Breuil-Cervinia.
03

 

02 – Lauterbrunnen Valley
Aninhado entre paredes rochosas gigantescas e montanhas deslumbrantes, o Lauterbrunnen Valley é considerado o mais impressionante vale glacial nos Alpes. Embora tenha apenas 1km de largura e 3km de profundidade, seus penhascos possuem forma de U e o vale é quase totalmente plano. O Lauterbrunnen Valley é o lar de 72 quedas d’água, incluindo a famosa Staubbach Falls que é a maior cachoeira em queda livre da Europa com quase 300 metros de altura. Os visitantes podem ficar hospedados em charmosas pousadas localizadas dentro do vale e desfrutar da maior área de conservação ambiental de toda a Suíça.
02

 

01 – Lake Lucerne
Embora na Suíça existam mais de 1500 lagos dentro de suas fronteiras, o Lago de Lucerna oferece algumas das visitas mais pitorescas em torno do Monte Rigi e Monte Pilatus. Localmente conhecido como Vierwaldstättersee, é um destino muito escolhido pelos turistas nativos que querem explorar suas curvas complexas e seus braços em um barco. A partir da água, os visitantes podem aprecisar a vista deslumbrante de picos irregulares e uma visão tridimensional dos penhascos íngremes mergulhando nas águas azuis cintilantes. Acredita-se que a beleza inexplicável da luz da Lua tocando as mágicas águas do Lago de Lucerna é o que inspirou o nome da peça mais famosa de Beethoven chamada “Moonlight Sonata”.

01

 
 

Fonte: Escapehere

 
 
 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>