Encarar ou não o “subemprego”?

Antes de responder a essa pergunta, que tal uma reflexão?

Você gostaria de voltar para o Brasil só por não ter conseguido o emprego dos sonhos na Irlanda e abandonar a oportunidade de viver, estudar, passear e conhecer pessoas do mundo inteiro em lugares que você nunca imaginou estar antes?
Foto 1
Baseado nisso é que afirmamos com convicção que apelar para um subemprego não é nada ruim, que não há nada de errado nessa escolha, desde que este subemprego não afete a sua saúde, é claro.
Devemos lembrar que empregos como ajudante de cozinha, babá, faxineiro, entregador de jornal, plaqueiro etc., são funções que existem em grande quantidade no Brasil como em qualquer lugar do mundo. Por serem funções tão comuns e necessárias, você não deve se sentir inferiorizado por aceitar uma dessas posições.
Trabalhar nesses “subempregos” para se manter no exterior é uma realidade muito mais comum do que se pensa quando falamos de programas de intercâmbio, não só aqui na Irlanda, mas em qualquer outro país.
São nesses subempregos que você vive a rotina de um restaurante, de uma casa de família, conhece os costumes locais, as regulamentações e práticas utilizadas, fatores que são fundamentais para a sua vivência no exterior e que agregarão valor considerável ao seu currículo.
Encare como uma experiência temporária
Subemprego, segundo o dicionário, é a ação e o efeito de subempregar. Este verbo significa empregar alguém num posto inferior àquele que lhe corresponderia tendo em conta as suas qualificações.
Uma vez dada essa definição, que muitos julgavam errônea e popular, é importante compreender que os subempregos acabam acontecendo por períodos temporários, como é o caso do intercâmbio.  Desta forma, entender que você não atuará naquela posição pela vida toda facilitará — e muito — a forma com que você lidará com a situação, pois terá a certeza de que aquilo terá fim. Aliás, se fosse uma experiência tão ruim não existiriam tantos estudantes renovando ano após ano.
Além disso, o trabalho informal é a realidade da maioria dos intercambistas que decidem se aventurar pelo mundo, uma vez que a barreira linguística precisa ser superada para que seja possível, então, almejar oportunidades melhores. No final das contas, estamos todos no mesmo barco: estudantes vivendo em país estrangeiro, com regras a cumprir — especialmente aquela que limita as horas de trabalho a 20 semanais durante o período de aulas.
Que tal adotar o pensamento de que o subemprego “faz parte” da experiência?
Um dos aspectos mais interessantes da vida dos intercambistas é justamente o fato de viverem de forma totalmente inusitada e diferente da que se tinha no Brasil. É  aí que aprendemos a valorizar coisas que a gente nem dava conta quando estávamos no conforto do nosso país, circundado de amigos e caras conhecidas falando a nossa língua materna.
Lembre-se porque você chegou aqui
Nem sempre é fácil!
Nos primeiros três dias de emprego o Victor quase desistiu. O primeiro pensamento dele era o de que era “complicado estudar cinco anos de engenharia no Brasil e acabar lavando louça em outro país”. Passado um tempo, ele percebeu que isso fazia parte da escolha de fazer um intercâmbio. Se você perguntar se ele gostava do trabalho, a resposta será negativa. Entretanto, sem qualquer sombra de dúvidas, afirmamos que a experiência é única!

Tamanha era a nossa vontade de guardar dinheiro para viajar que, mesmo tendo um emprego pesado no restaurante, o Victor passou a entregar comida à noite com a bicicleta dele. E é nessas horas que você mede o seu esforço quando tem um propósito, pois vê exatamente o que é capaz de fazer a fim de atingi-lo. Todavia, esta é uma questão bastante subjetiva, pois cada um sabe qual é a própria necessidade e tem consciência de quanto esforço é capaz de fazer para alcançar os seus objetivos.
Lembra-se da parte do temporário?
Pois é… A vaga que o Victor conseguiu no restaurante, cujas tarefas eram pesadas o bastante, e muito abaixo das expectativas dele, pode não ser a ideal, mas proporcionou ao Victor a evolução do inglês básico para o fluente, fizemos aquele mochilão dos sonhos, conhecendo 12 países europeus ao longo dos nossos 12 meses na Irlanda, além de ter possibilitado uma “pesada” bagagem cultural e um amadurecimento emocional — e de vida — que ele jamais teria alcançado no conforto do seu trabalho promissor no Brasil.
Nossa dica é: mantenha sempre em mente o que te trouxe para o intercâmbio. Sejam quais forem os seus objetivos, você enfrentará desafios, e o subemprego é apenas um deles.
Encare a realidade
É muito comum as pessoas virem para a Irlanda com o sonho de fazer um belo “pé de meia” para voltar muito bem para o Brasil. O problema é que as pessoas parecem se esquecer de encarar a realidade, que não é tão fácil como parece. Empregos não caem do céu na Irlanda e nem na China!
Eu, Carolina, trabalhei em um escritório, assim como trabalhava no Brasil, mas ocupando um cargo consideravelmente mais baixo. Ainda assim, não era paga nem um centavo a mais, por hora, que o Victor, que trabalha em um restaurante. Não me importava em trabalhar como assistente administrativo/financeiro na Irlanda após ter saído de um emprego de coordenadora de importação no Brasil. O meu intuito, assim como o da maioria dos estudantes brasileiros, era realizar uma imersão cultural e aprimorar o inglês. Eu não viraria as costas por oportunidades inferiores às que eu tinha no Brasil por simples capricho.

Foto 3

Não é à toa que o fato de ter realizado um intercâmbio aumenta — e muito — as suas chances de abocanhar uma boa vaga no Brasil, pois além da questão idioma, os entrevistadores sabem muito bem que uma experiência no exterior proporciona uma bagagem valiosa, que inclui, entre outras coisas, uma visão mais apurada e complexa de mundo, flexibilidade para lidar com adversidades e outros tantos fatores que você aprenderá “na marra” ao estar em um país completamente diferente do seu.
Por isso, a dica é que você agarre a oportunidade que aparecer, pois emprego está difícil em todo lugar e o intercâmbio não durará a vida toda, mas o suficiente para que, lá na frente, além da bagagem, você tenha muita história para contar, geralmente com situações muito desafiadoras e muitos relatos de superação.

Este artigo também está disponível no portal do e-Dublin através deste link aqui.
Se você quiser entrar em contato com a Carolina Ojeda e o Victor Lorasque para informações e cotações de intercâmbio, envie um e-mail para agência MD4S de São Paulo e agende a sua visita: saopaulo@md4s.org

Dicas Para Escrever o Currículo

 blog_titulo_curriculo

A qualidade do seu CV pode interferir bastante nas suas chances de conseguir um trabalho. Um bom CV não é aquele cheio de experiências e qualidades sobre você, e sim aquele que é direto, objetivo, de fácil entendimento e que te descreve totalmente em no máximo duas páginas.

Quer dar uma melhorada no seu CV e aumentar as suas chances? Então fique ligado nessas dicas simples, práticas e que vão fazer a diferença.

 

14 DICAS ESSENCIAIS

01- Apresente suas habilidades de uma forma clara e lógica, para realçar seus pontos fortes e deixar o recrutador conhecer seu perfil em poucos segundos.

02- Não exagere em nenhum detalhe, nem na sua formação, habilidades ou experiências. Releia várias vezes o texto final para evitar erros de ortografia e pontuação.

03- Foque no que é essencial. O CV deve ser breve, então, tenha em mente que duas páginas são suficientes para melhorar o seu perfil especialmente se você está à procura de emprego em bares e pubs.

04- Se a sua experiência profissional for limitada, é aconselhável para inverter a ordem dos tópicos. Comece com o tópico “Educação e Formação” e só depois coloque suas experiências anteriores.

05- Enfatizar estágios realizados durante os estudos. Eles valorizam bastante a sua formação.

06- Concentre-se no essencial, ou aqueles itens que irão realmente valorizar o seu CV. Por exemplo, você não precisa citar uma experiência de trabalho antiga que faz parte da sua carreira, mas que não tem nada a ver com a vaga na qual você quer se aplicar.

07- Busque o máximo de informações possíveis sobre a empresa pela qual você está se candidatando a vaga para que você possa adequar melhor o seu CV de acordo com o perfil requerido.

08- Nunca mentir em seu currículo. Você pode se atrapalhar durante a entrevista e acabar com todas as suas chances de ser contratado.

09- Sempre imprimir o CV em papel branco para torná-lo mais legível.

10- Mantenha a fonte e o layout. Se começou com Arial 12, utilize Arial 12 em todo o resto.

11- Evite escrever frases sublinhadas, letras maiúsculas ou em negrito. Deixe os destaques apenas para os títulos dos tópicos.

12- Jamais deixe um tópico começar em uma página e terminar em outra.

13- Justificar quaisquer interrupções em seus estudos ou em sua carreira.

14- Tome cuidado ao traduzir o seu CV para o inglês. Faça com muita atenção e se o seu inglês não for suficiente, peça ajuda de um amigo ou professor. Um erro na ortografia pode arruinar todas as suas chances.

Agora que você já sabe como deixar o seu currículo impecável, leia nosso post sobre “Como procurar um trabalho na Irlanda” e comece agora mesmo as suas buscas! :)

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Como Procurar Emprego na Irlanda

primeiro-emprego

A Irlanda é um lugar muito bom pra se viver. A maioria dos estudantes brasileiros lamentam terem que retornar à pátria amada, aindamais se conseguirem um bom emprego por aqui. Nos dias de hoje, com todos os problemas financeiros que o mundo supera diariamente, é claro que até na Irlanda ficou mais difícil encontrar trabalho, porém, ainda há vagas para quem realmente quer. Quer saber como a crise ajudou os gringos por aqui? Com menos dinheiro entrando no caixa, as empresas precisam de mão-de-obra mais barata. Ao mesmo tempo, a população não quer trabalhar por “mixaria”, então esse trabalho vai sobrar pra quem? Claro, pra nós, pobres estudantes que topamos tudo por alguns eurinhos. Em contrapartida, agora existem irlandeses em situações financeiras precárias, e esses, começaram a disputar vagas nos “subempregos” conosco.

O que você tem que saber é que em muitos lugares preferem contratar gringos pois fazemos o trabalho sem reclamar e outros tantos lugares até dão preferência para brasileiros pois sabem que estamos acostumados a trabalhar duro e damos conta do serviço como ninguém. É nisso que você precisa focar para conseguir o seu trabalho. Então, as primeiras dicas são:

1- Não tenha medo de vir e arriscar.

2- Não fique lamentando dizendo que está difícil encontrar um trabalho. Guarde a energia que você vai gastar lamentando para utilizar com a sua persistência. Positividade sempre! 😉

3- Não tenha medo de começar por baixo. Mesmo que você venha pra Irlanda com um inglês mais avançado, lembre-se de que você não possui nenhuma experiência profissional aqui. Portanto, um trabalho de cleaner, kitchen porter, ou algo similar já te garante uma cartinha de referência.

 

Coisas que podem te ajudar a conseguir um trabalho:

As vezes sair de porta em porta entregando currículos não dá resultado. Você pode passar meses andando em Dublin 1, 2, 11, 24 ou seja lá qual for e não receberá uma mísera ligação. Isso é normal, acontece muito e sempre tem alguns macetes pra você aumentar as suas chances de retorno como:

Tenha um bom currículo

Um bom currículo nem sempre quer dizer “um currículo cheio de experiências”. Para ele ser bom, precisa ter todas as informações que o empregador quer ler. E o que ele quer ler?

– Informações diretas. Pense que ele terá mais 999 currículos pra ler depois do seu.

– Informações necessárias. Não invente coisas.

– O suficiente para identificar o seu perfil profissional. Então, novamente… não invente coisas!

Faça um currículo específico para cada tipo de trabalho que você procura. Quer saber porque?

Por exemplo: Se você estiver procurando um trabalho de cleaner, você não precisa colocar no seu CV a sua formação acadêmica. Não é porque você é formado na USP ou na Universidade Estadual da Califórnia que você será um bom cleaner. Muito pelo contrário, o empregador quer alguém que saiba o menos possível, pra não ficar reivindicando coisas ou enchendo o saco dele… rsrs

Mas se você estiver procurando um emprego na sua área, então, sem dúvidas será primordial incluir a sua formação acadêmica.

Nem pense em distribuir um currículo que não está em inglês. Isso é um pouco óbvio mas achei bom citar. HEHE’

Não se estenda muito. Um currículo de uma página já é suficiente.

Se você trabalhou em franquias internacionais como por exemplo, Mc Donald’s, Burger King, Subway, Starbuck’s, ou em alguma empresa multinacional, dê prioridade à elas ao citar suas experiências profissionais.

Com o currículo em ordem, é hora de correr atrás. Mas… por onde começar?

 

FÁS – National training and employment authority

O FÁS é uma agência irlandesa especializada em auxilio na busca por emprego. Eles recebem diariamente uma lista enorme de empregadores procurando pessoal para contratar. Tudo que você precisa fazer é:

Ir até um dos escritórios do FÁS (tem um bem na esquina do PPS, na Parnel St.) e utilizar aquelas máquinas vermelhas para procurar a sua vaga de emprego. Ou aproveitar o avanço da  tecnologia e procurar sua vaga on-line, no conforto do seu lar acessando esse link AQUI. O sistema utilizado nas maquinas é exatamente o mesmo do site. Em breve irei disponibilizar aqui um passo-a-passo de como utilizar o website do FÁS.

 

Websites de busca por emprego

Na Irlanda existem inúmeros sites especializados em busca por empregos. Segue abaixo uma relação dos mais famosos:

Jobs

Irish Jobs

Find a Job

Monster

Recruit Ireland

Jobs in Ireland

Done Deal Jobs

Best Jobs

Escolha os seus preferidos e busque por vagas todos os dias. Hoje você pode não encontrar, mas amanhã é outro dia. :)

Dica: Se possível, envie seu currículo pelo site e envie também diretamente para o e-mail da empresa que está disponibilizando a vaga. O que acontece é que muitos anúncios postados nesses sites são feitos por agências de recrutamento e não diretamente pela empresa que quer contratar. As vezes seu currículo não se enquadra aos padrões da agência mas está ótimo para a empresa.

 

Redes Sociais

Muitas empresas analisam o perfil do candidato através das Redes Sociais. Por isso, é indispensável que você tenha um bom perfil no LinkedIn. Se você ainda não tem, crie sua conta AQUI e preencha o máximo de informações possíveis (em inglês) e coloque uma foto um pouco mais séria como seu avatar.

Dependendo do tipo de emprego que você está buscando, até mesmo suas postagens do Facebook podem influenciar, porém, acho que já não chega a ser o nosso caso aqui.

Utilize também as redes sociais para buscar vagas de emprego. Sempre surgem anúncios naqueles grupos que já falamos sobre no post sobre como procurar casas para alugar em Dublin.

OBS: Se você está procurando vagas de cleaner, ou algo do tipo, não precisa se preocupar muito com a sua vida na internet.

 

Última dica:

Leve o seu currículo na mesma empresa várias vezes. Não precisa ser todo santo dia, mas se você fizer isso a cada 15 dias já está bom.

Você pode baixar um exemplo de currículo AQUI.

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Tirando o Seu GNIB

Finalmente o grande dia chegoooooooou! =)

Depois de um tempão esperando o PSS, senha e cartão do banco, depois de todo medo de não dar tempo e acabar ficando ilegal, chegou a hora de ir até a imigração para tirar o seu GNIB. \O/
Pois é meus amigos peguem os chocolates, recarreguem a bateria do celular e se preparem para boas ou nem tão boas horas de espera. HEHE’

O processo de obtenção do GNIB é um pouco demorado mesmo, mas não é nada complicado. E pra falar bem a verdade, tem gente que nem fica tanto tempo assim esperando. Para dar entrada na solicitação do seu GNIB, tenha em mãos os seguintes documentos:

– Passaporte
– Visa Letter (fornecida pela escola)
– Extrato bancário (para comprovação dos 3 mil euros)
– Apólice do seguro governamental

Depois de reunir todos os documentos, vá até o escritório da Imigração Irlandesa que fica no endereço: 13-14, Burgh Quay, Dublin 2

Exibir mapa ampliado

Chegando lá, entre em uma “pequena” fila para pegar a sua senha. Quando chegar a sua vez, basta entregar os documentos para o atendente. Ele irá checar seu passaporte e devolverá tudo pra você junto com a sua senha.

Depois disso, sente e aguarde…

 

 

Aguarde mais um pouco…

 

 

E mais um pouco…

 

 

Tome uma agua, coma alguma coisa…

 

 

Jogue seu Candy Crush, Papa Pear ou whatever…

 

 

Ligue pro seu flatmate pra papear (tomar o tempo de alguém faz o seu tempo passar mais rápido. ^^)

Espere só mais um minuto… E quando o display mostrar o seu número, o número da sua senha, lenvate-se com calma pois é bem provável que suas pernas estajam formigando e dirija-se até o guichê indicado.
Chegando lá, entregue todos os documentos que estão com você. O atendente irá checar tudo e talvez fará alguma perguntinha boba só pra fazer você falar algo. Em seguida vem o momento “celebrity” da foto e depois você deverá cadastrar todas as suas digitais em uma máquina. Por último você faz o pagamento da taxa de 300,00 euros via cartão de débito e pronto!

Agora é só sentar e esperar mais um pouquinho até que alguém te chame pelo nome para você pegar a sua carteirinha.

Algumas dicas:
– Procure ir até a Imigração no período da manhã pois como o volume de pessoas é muito grande, sempre acontece de acabar as senhas.
– Se a sua senha estiver muito longe de ser chamada, pergunte a qualquer atendente quanto tempo mais ou menos vai demorar. Você pode sair pra adiantar outras coisas e voltar depois de um tempo.
– Na hora de pagar, você pode optar por não utilizar o cartão. Nesse caso, será emitido um boleto que deverá ser pago no banco. A desvantagem é que você vai ter que retornar outro dia pra apresentar a guia paga e retirar sua carteirinha.
– Caso você tenha alguma dificuldade, tenha em mãos os telefones da sua agência e escola. Peça para ligarem pra lá e irão resolver tudo pra você.
– Quando estiver aguardando a sua vez de ser chamado para retirar a carteirinha, fique muito atendo para não perder a vez. O atendente irá chamar pelo nome em um microfone e se o seu nome for um pouco complicado, ele não vai conseguir falar muito bem. xD

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Abrindo Sua Conta Bancária

Todo intercambista chega em Dublin se sentindo o milionário, afinal, não é sempre que temos três mil euros no nosso bolso. Como todo milionário que se preze, é essencial que tenhamos uma conta em um bom banco para guardarmos a nossa fortuna. Visando nossa segurança, é altamente recomendado abrirmos uma conta o mais rápido possível.

Infelizmente temos que cair na realidade e nos lembrarmos que temos esse dinheiro pois precisamos comprova-lo para a imigração, caso contrário, não conseguimos nosso tão desejado GNIB (Leia com a voz do Rei do Camarote) e você sabe né… o GNIB é uma questão de status. Todo mundo quer ter um GNIB pois ele agrega valores ao seu intercâmbio. :)

rei_camarote

 

Brincadeiras à parte, a comprovação de renda na Irlanda é um passo muito importante e você não terá como escapar disso. Se você não sabe como funciona essa comprovação, vamos explicar.

Todos que querem estudar na Irlanda por mais de 3 meses devem comprovar renda de 500 euros mensais. Se você for ficar por aqui por 6 meses ou mais, essa comprovação será de 3 mil euros. Por exemplo:

Para estudar na Irlanda por 3 meses você deverá comprovar: 0,00

Para estudar na Irlanda por 4 meses você deverá comprovar: 2.000,00

Para estudar na Irlanda por 5 meses você deverá comprovar: 2.500,00

Para estudar na Irlanda por 6 meses você deverá comprovar: 3.000,00

Para estudar na Irlanda por 8 meses você deverá comprovar: 3.000,00

 

E como é feita essa comprovação? Se você está se perguntando isso, já vamos responder…

Chegará um dia em que você deverá ir até o escritório da Imigração Irlandesa para tirar o seu visto (GNIB). Nesse momento você deverá apresentar um extrato bancário que comprove a existência do valor solicitado para a comprovação na sua conta. Por isso você é obrigado a abrir uma conta estudantil em algum banco irlandês que pode ser:

– Bank of Ireland

– AIB

– Ulster Bank

Quem define em qual banco você abrirá a sua conta não é você pois para isso será necessário obter uma carta na sua escola (Bank Letter) que será direcionada a uma agência bancária específica cuja qual a escola possui parceria. Essa carta deve ser solicitada de preferência no seu primeiro dia de aula, então, não deixe tudo pra última hora! 😉

 

Além da Bank Letter também é necessário apresentar os seguintes documentos:

– Passaporte

– Comprovante de endereço (Você pode usar a cartinha do PPS)

 

Com todos os documentos em mãos, vá até a agência bancária indicada pela sua escola e dirija-se ao balcão de Atendimento ao Cliente (Costumer Service). Entregue todos os documentos e diga que você quer abrir uma conta de estudante.

O atendente irá pedir pra você preencher um formulário com todos os seus dados e pessoais. Com tudo preenchido, você não precisa fazer mais nada além de aguardar, pois aqui a conta não é aberta na hora como no Brasil. Espere até o dia seguinte para depositar todo o seu dinheiro e depois espere mais um dia para solicitar o seu extrato no mesmo balcão de Atendimento ao Cliente.

Dentro de 5 dias úteis (geralmente demora um pouco mais) você receberá no endereço cadastrado a senha do seu cartão e alguns dias depois você receberá o cartão e o extrato.

Com o extrato em mãos, o próximo passo é ir até a Imigração para tirar o seu GNIB. 😉

 

 

Dicas importantes:

– Se você está utilizando o endereço de alguma acomodação estudantil, não deposite o dinheiro antes de receber o seu cartão e senha.

– Enquanto aguarda a cartinha do PPS chegar para poder usá-la como comprovante de endereço, vá sacando o dinheiro do seu VTM. Os caixas possuem limites diários de saque, então você terá que sacar um pouco por dia.

– A taxa por saque do VTM é de 2,50 euros. Então dê preferência por utilizar as máquinas que ficam dentro das agências bancárias pois elas possuem um limite de saque maior do que aquelas que você encontra na rua.

– Assim que terminar o processo de abertura da sua conta, peça ao atendente o número da sua agência, conta e todas as informações possíveis. Algumas agências não informam isso logo de cara e se você quiser agilizar tudo, vai precisar dessas informações.

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

 

Procurando Casas

alugando-dublinProcurar um bom lugar pra morar em Dublin pode sim ser uma tarefa difícil. Algumas pessoas encontram com uma certa facilidade e outras passam meses procurando e nada de aparecer o tão esperado “home sweet home”. Para amenizar a dor no coração daqueles que ainda dormem no sofá dos amigos, ou dividem um quarto de Hostel com pelo menos mais 5 barbudos ou barbudas, aqui vão algumas dicas importantes:

Use a internet

A internet é um meio de comunicação formidável, mágico e lindo! Destrinche sem dó todos os sites de aluguéis em Dublin. Provavelmente você encontrará quase os mesmos anúncios em todos, mas também sempre tem alguns diferentes. E outra… é melhor nadar do que morrer na praia né! =D

Se você não conhece nenhum site para essa finalidade, aqui vai uma listinha dos mais importantes. Para acessá-los, é só clicar.

Daft

Rent.ie

MyHome

Let

Dublin Rentals

Property

Home Locator

Além desses sites que sempre ajudam, vasculhe cada cantinho de todos os grupos de ajuda no Facebook. Se você não conhece nenhum, aqui vão alguns pra você começar:

Students MD4S

Classificados Dublin

Novo Classificados Dublin

Classificados Irlanda Toda

Dublin Para Brasileiros – Classificados

Alguar em Dublin

Vivendo em Dublin

Acomodações na Irlanda – Dublin Casas

Classificados Irlanda

InDublin

Brazucas in Dublin

Study in Dublin

Esses são apenas alguns dos inúmeros grupos que existem por ai. Portanto, pesquise por outros também pois quanto mais contatos você conseguir, melhor.

Não limite-se apenas aos grupos brasileiros. Pesquise vagas também em outros grupos ou paginas como:

Venezolanos En Dublin

Venezolanos En Dublin – Ireland

Pesquise também por páginas de outros países além desses que citei. Curta a página da sua escola ou agência e procure por vagas por lá.

 

Faça contatos

Utilize os murais da sua escola para fixar um anúncio dizendo que você está procurando uma vaga ou para ver se alguém está anunciando por ali. Contato é a coisa mais importante no seu intercâmbio, por isso, converse bastante na sua escola, participe de grupos de conversação, saia bastante, conheça pessoas, crie círculos e ajude seus companheiros de intercâmbio pois cedo ou tarde, um desses novos amigos com certeza poderá te ajudar.

 

Fique de olho

Fique alerta antes de alugar uma casa. Procure saber sobre a localização, se a região é tranquila, se há acesso a transporte público, se a casa tem algum problema. Se você estiver pegando uma vaga, pergunte o motivo pelo qual a pessoa está saindo e converse com os outros moradores da casa.

Quer saber mais dicas sobre o que você precisa saber antes de alugar uma casa? Confira uma postagem especial sobre esse assunto clicando AQUI. 😉

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Tirando o PPS

Uma das primeiras obrigações do intercambista ao chegar em Dublin é correr atrás do PPS. Ligar voz Sergio Chapelin: Mas o que é o PPS? Para que ele serve e como tira-lo? Desligar voz.

ppsn

O PPS (Personal Public Server) é chamado pelos brasileiros de “CPF Irlandês”. Ele é a sua permissão de trabalho e sem ele nenhuma empresa poderá registrar você. Você vai precisar do seu PPS na hora de alugar um apê também. Muitos landlords pedem o PPS para comprovar que você está apto a trabalhar por aqui e consequentemente, poderá pagar o aluguel.

Tirar o seu PPS é muito fácil e os documentos que você irá precisar são:

– Passaporte

– Carta da escola (PPS Letter)

– Comprovante de endereço (as vezes pedem, outras vezes não…)

Se na sua PPS Letter já consta o endereço da sua acomodação, ela já servirá como comprovante de endereço também. Caso você esteja hospedado em Hostel, não é recomendado que você deixe o endereço de lá, nesse caso, utilize o endereço de um amigo ou da sua escola.

Com os documentos em mãos, vá até o escritório o Dublin Social Welfare para dar entrada nos procedimentos. Geralmente os brasileiros utilizam o escritório de Dublin 1 pois a maioria das escolas e acomodações estão por perto. Porém, se você precisar, há uma lista com todos os escritórios que pode ser consultada on-line CLICANDO AQUI.

Ao chegar no escritório, você deve se dirigir até o balcão onde você pegará a senha. É só chegar lá, entregar todos os documentos e em seguida o atendente vai entregar pra você um ticket com a sua senha. Depois disso, é só sentar e aguardar. O tempo de espera não costuma passar de uma hora, mas por via das dúvidas, leve uma água, um lanchinho e um amigo pra conversar. =)

Quando chegar a sua vez, o atendente pedirá pra você preencher um formulário, nada muito complicado, não se preocupe. Depois disso ele fará algumas perguntinhas básicas também (as vezes) e irá pedir pra você se posicionar em frente a câmera para tirar uma foto. Por último, ele irá te entregar um protocolo com o prazo para que o seu PPS seja entregue na sua casa. Esse prazo geralmente é de uns 10 dias.

Quando o prazo terminar, você receberá duas correspondências. Uma é um papel com o seu número de registo (PPS Number) e o outro é um cartãozinho com chip. Guarde muito bem esses papéis e aproveite a correspondência do PPS para utilizá-la como comprovante de endereço ao abrir a sua conta bancária. =)

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

O Primeiro Dia na Escola

Vocês já ouviram falar no “Induction Day”? É uma prática comum entre as escolas aqui em Dublin. No seu primeiro dia, você receberá todas as instruções para tirar o seu PPS, abrir sua conta bancária, tirar seu GNIB e tudo mais. Além disso, algumas escolas oferecem diversas atividades e passeios pra você já ir se acostumando com a cidade e o caminho até a escola.

O que fazer no primeiro dia?

Além de aproveitar os passeios e tudo mais, é importante você se lembrar de pedir na secretaria da sua escola a PPS Letter, Bank Letter e a apólice do seu seguro governamental. Algumas escolas demoram um pouquinho para entregar esses documentos então é importante que você fique em cima, cobrando todos os dias.

Se você ainda não fez o seu teste de nivelamento on-line, já aproveite para agenda-lo. Só fazendo esse teste a escola poderá saber em qual turma você deverá estudar.

 

checkbox

O teste de nivelamento

O teste costuma ser bastante simples, apenas com questões de múltipla escola. Responda honestamente, não tente copiar do vizinho pois isso poderá prejudicar o seu aproveitamento do curso. Responda as questões com atenção e evite chutar. Ao contrário do que você faz na escola, nas suas provas normais, se você não tem certeza de alguma resposta, marque a que você acredita ser a mais impossível de estar correta pois se você acertar muitas questões no chute, você cairá em uma turma mais avançada e talvez não consiga acompanhar o curso.

O ponto é… Você não tem que ter vergonha de começar no nível mais inicial de todos. Não tente começar o seu curso no nível intermediário se você deveria estar no iniciante. Isso só irá fazer você perder tempo de curso pois cedo ou tarde você terá que pedir para retornar alguns níveis. 😉

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Saindo do Aeroporto

Você desembarca em Dublin quase como um zumbi. Depois de horas dentro de um avião onde praticamente só as suas pernas dormiram, você pisa em terras verdes. Se você comprou o seu curso com o serviço de translado incluso, já tem um motivo pra sorrir pois logo logo estará na sua acomodação quentinha e com cama confortável. Mas se você não possui um transfer, prepare-se pra mais um tempinho sentado dentro do ônibus ou seja feliz pegando um táxi. 😉

O transfer pode não parecer algo tão importante para o estudante, mas é! Muitas pessoas preferem não pagar pelo transfer e ir para a acomodação de táxi. Isso é totalmente normal e aceitável. Porém, o transfer tem mais uma função além de te buscar no aeroporto. Ele é quem irá informar a sua escola ou agência que você ainda não chegou caso tenha algum problema ao passar na imigração. Assim, a sua escola ou agência poderá entrar em contato diretamente com o agente da imigração no aeroporto e liberar a sua entrada, evitando as vezes horas e horas de espera. Sem dizer que assim a sua família também pode ficar sabendo do seu paradeiro.

Procurando o seu transfer

Encontrar o seu transfer não é uma tarefa complicada. Assim que você pegar a sua bagagem, siga o fluxo em direção a área de desembarque. Logo que você passar pela porta elétrica, você verá várias pessoas esperando seus amigos, parentes ou estudantes. Procure o camarada que estiver segurando uma plaquinha com o seu nome. Tem alguns transfers mais “high-tech” que usam um tablet pra isso! :)

Se você é econômico, ou gosta de se aventurar e optou por não adquirir o serviço do transfer, você tem duas opções para sair do aeroporto em destino à sua acomodação: Ônibus ou Taxi.

Pegando um ônibus

O ônibus em Dublin não aceita notas, apenas moedas. Portanto, se você não tiver moedas, compre algo pra trocar o seu dinheiro. O valor da passagem para ir até o centro da cidade é 2,40 euros. Antes de viajar, entre em contato com algum amigo que esteja morando aqui ou até mesmo com a sua escola ou agência e pergunte onde você deverá descer do ônibus. Em breve você poderá encontrar uma postagem ensinando como pegar ônibus em Dublin CLICANDO AQUI.

Chamando um Taxi

hailo-appLogo na saída do aeroporto você verá dezenas de taxis parados esperando por um passageiro. Você pode simplesmente escolher algum deles e pronto. Porém, pode acontecer de um taxista de má índole percorrer a cidade toda com você só pra cobrar mais caro. Pode acontecer também do taxista não ter um GPS no carro e não fazer ideia de onde fica a sua acomodação. Por essas e outras recomendamos o uso do aplicativo mobile HAILO. Com ele você pode chamar um táxi de qualquer lugar de Dublin. Os taxistas cadastrados são de total confiança e o aplicativo mostra em tempo real o percurso da sua corrida. Se você deseja instalar o aplicativo no seu celular com Sistema Operacional Android, CLIQUE AQUI ou utilize o QR-Code ao lado. O app também está disponível para dispositivos com iOS, basta buscar por “HAILO” na Apple Store.

HailoCab

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

A Imigração no Aeroporto

A maior preocupação da maioria dos brasileiros quando a data da viagem está se aproximando é o bendito momento de passar na imigração. Ao entrar no avião, a cabeça já começa a fazer filminhos de terror, onde você é preso em uma sala vazia por horas, até que um guarda vem, te pega pelo braço e te leva para algum outro lugar dizendo “Sua entrada na Irlanda não foi liberada e você está sendo deportado”. Você não tem direito a uma ligação, não consegue avisar a sua família e ainda perde toda sua bagagem. Rsrs

Calma pessoal, não acontece nada disso. Não há motivo pra pânico! É claro que a imigração pode muito bem barrar a sua entrada no país mas isso só irá acontecer se você não estiver com a sua documentação em ordem ou algo de errado acontecer com a sua escola. Então, antes de falarmos de como é passar pela imigração, vamos relacionar todos os documentos que você vai precisar ter em mãos:

– Passaporte

– Carta de comprovação de matrícula da sua escola (Enrolment Letter)

– Carta de comprovação de reserva da sua acomodação

– Comprovante de saldo do seu VTM (Não é obrigatório, mas é bom trazer)

– Comprovante de reserva da sua passagem de volta

Agora uma dica importante: Pesquise muito bem antes de comprar o seu curso. A imigração irlandesa está fechando muitas escolas por aí, por isso, tenha certeza de estar comprando com uma instituição séria, de qualidade e tradicionalismo. Sabemos que sempre o mais em conta chama a atenção e somos propensos a dar prioridade pelo que custa barato, mas nem sempre isso é bom. Pense que você está investindo uma boa grana e está deixando sua casa, sua família, seu trabalho e tudo mais para sair do Brasil e aprender outro idioma, então, invista em algo que vai te trazer um bom retorno e vai valer a pena. 😉

 

Agora sim, vamos prosseguir…

Ao embarcar para Dublin você irá se deparar com a primeira dificuldade que é a sua conexão, é claro que pra quem já está acostumado com viagens internacionais, isso não é um problema, caso contrário, com certeza vai rolar um nervosismo, um gelinho na barriga e tudo mais. Mas realmente não há dificuldade alguma. Você apenas deverá mostrar seu Passaporte sempre que pedirem. Se perguntarem pra onde você vai, diga Dublin e se perguntarem o que você vai fazer aqui, diga que vem pra estudar, resumindo, fale a verdade… você não tem nada a esconder e não está fazendo nada de errado.

Dica: Rapazes, evitem viajar de boné, correntes muito grandes no pescoço e tudo mais. Eu sei que é um absurdo, mas ainda há quem encane com essas coisas. Você não precisa se vestir todo “mauricinho”, mas uma calça jeans e uma camiseta mais discreta já ajudam a evitar transtornos.

Chegando no aeroporto de Dublin é a hora de passar pelo agente da imigração. Para chegar até lá, siga o fluxo e fique atento apenas quando ver uma plaquinha que separa as filas na imigração. Uma fila é apenas para Europeus e a outra é para não Europeus. Se você tem passaporte italiano, espanhol, português ou qualquer outro europeu, não precisará passar pelos passos seguintes.

Depois de entrar na sua fila de não europeu, pegue todos os documentos necessários (aqueles que citamos no começo do post) que está na sua bagagem de mão, e já fique segurando eles. Quando chegar a sua vez, apenas entregue todos os documentos juntos para o agente. Ele vai ver o que precisa e te devolverá o que tiver a mais. Caso ele pergunte algo que você não entenda, não tenha medo de dizer que você não fala inglês e solte um “Sorry, I don’t speak english”. Você está vindo para Dublin pra aprender inglês então não tem a obrigação de saber. Alguns agentes arriscam um espanhol pra ajudar no entendimento. :)

imigracao-dublin

Se você perceber que o agente está com alguma dificuldade, ou ele te disser que tem algo errado, não entre em pânico. Apenas peça pra ele ligar para a sua escola ou agência. Eles sempre ligam e resolvem tudo.

Só pra ressaltar, vamos listar os principais motivos pelos quais a sua entrada na Irlanda pode ser barrada:

– A falta de algum documento

– Dados divergentes (alguma informação incorreta nos seus documentos)

– Algum problema entre a sua escola e a imigração

– Se você já foi deportado anteriormente

E lembre-se, pesquise bastante antes de adquirir o seu curso. Tenha certeza de que está comprando com uma instituição séria e com bom tempo de mercado. Para ajudar na sua pesquisa, acesse o site http://nqai.ie/. Nele você encontra uma lista de todas as escolas autorizadas a prestarem serviços na Irlanda. Para acessar diretamente a lista atualizada em Agosto de 2013, CLIQUE AQUI.

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com