A segurança de fazer intercâmbio com uma agência confiável

Gostaria de deixar aqui o relato da minha experiência aos futuros intercambistas. Espero que ajude a esclarecer alguns pontos. Lá vai!

Foto 1
Para iniciar um intercâmbio, sempre temos aquelas dúvidas, tais como para onde ir, quanto pagar, como viver durante o período de intercâmbio, preços, como são os costumes do lugar, quais os passos pré e pós embarque. Decidi vir para Dublin e então comecei a pesquisar agências para me auxiliar na minha mais nova e importante empreitada e encontrei então a MD4S.
A Carolina Ojeda e o Victor Lorasque foram minha linha direta, inicialmente através de e-mails e pela internet tive todo o auxílio necessário para escolher a escola, sempre tendo grande riqueza de detalhes e respostas para todas as dúvidas. Esta é uma fase muito importante e a partir daqui pude adequar meu orçamento e planejar a minha estratégia para viver o intercâmbio. A MD4S me ajudou muito a  enxergar com mais clareza e confiança a realidade dos custos. Fechamos tudo por e-mail. Foi a minha primeira experiência com este tipo de canal online e tive êxito tanto nos pagamentos quanto nos recibos e documentos da escola para comprovar minha situação de estudante na imigração do aeroporto.

Foto 2
Planejar é fundamental além de estar a par de todas as regras locais para trabalho com visto de estudante e ter a ciência de que devemos ter um bom controle sobre gastos com diversão, uma vez que, inevitavelmente, ao chegar em Dublin é comum querermos conhecer tudo e ir a todos os lugares. Recomendo sempre trazer além dos € 3,000 uma grana a mais para o período em que a documentação fica pronta, prazo este que leva em média um mês. Durante este período, para se manter aqui, seria legal trazer pelo menos mais uns € 700.
Visitei depois a filial da MD4S em São Paulo e conheci pessoalmente a Carol e o Victor. Batemos um papo muito bom e eles prontamente me tiraram mais dúvidas e também me ajudaram a lidar com a ansiedade que nos toma conta neste período pré-embarque. Pude constatar pessoalmente neste momento todo o profissionalismo e preocupação da agência em nos auxiliar de forma coerente, direta e muito amigável em relação aos passos pré-embarque, fator muito importante pra mim, marinheiro de primeira viagem deste tipo, apesar de ter assistido muitos vídeos na internet. Conversamos sobre tudo, desde o que levar nas malas, como lidar com o frio irlandês, até sobre o quesito de procurar emprego. Eles moraram aqui ano passado e possuem informações valiosas e precisas, o que me confortou bastante no pré-embarque.

Foto 3
Chegado o dia, 05/05/2015, embarquei para Dublin. Me acomodei no Jacobs Inn hostel e logo no primeiro dia fiz uso do meu seguro internacional, pois sofri dores agudas de cólica renal e descobri que tinha três pedras nos rins. Eu não tive tempo sequer de comunicá-los sobre minha chegada e no meio da madrugada fui parar no hospital. A importância de ter o seguro internacional é que a minha consulta no hospital deu cerca de € 400 e o seguro cobriu esse custo e me orientou para onde ir.
À noite, depois de medicado, finalmente falei com o representante da MD4S aqui em Dublin, quem gentilmente foi até o hostel, bateu um papo comigo e me deixou mais tranquilo. Ele me passou seu contato e se colocou disponível para me auxiliar caso eu precisasse de algo. Além disso, ele me convidou para conhecer, no dia seguinte, a matriz da MD4S que fica aqui mesmo em Dublin, onde ele me deu mais informações valiosas sobre a cidade e pude conhecer o resto do pessoal da agência.
Pessoalmente senti a necessidade de me instalar numa casa e sair do hostel, até para poder repousar mais tranquilamente nesse período de recuperação onde estava sendo medicado. Foi dado início à procura da minha primeira acomodação fixa, onde novamente a MD4S me auxiliou. Agradecimento especial para o Victor Lorasque que nesse período sempre me marcava nas oportunidades dos grupos de classificados do Facebook, de forma que em dois dias, no meu quinto dia em Dublin, eu já tinha escolhido uma residência e me mudado.
Os primeiros dias aqui são uma loucura. Cheguei no início do verão e a temperatura estava agradável, entre 15 e 17 graus. A noite começava às 23h neste período do ano, quando os dias são mais longos e tem um clima bem parecido com o da cidade de São Paulo. Eu vim sozinho e faz parte do processo fazer contatos com a galera que naturalmente se tornam seus amigos aqui. Dublin é uma cidade globalizada, gente de todo o mundo e neste quesito tive a sorte de só encontrar pessoas que me acrescentaram muito e me ajudaram bastante, desde aquela forcinha psicológica por estar sentindo fortes cólicas renais quanto pela saudade da família que nesse momento foi muito grande! rsrsrs
Esse período inicial pede muito controle financeiro também. Não é incomum ouvir histórias de pessoas que chegam aqui com o valor exato para tirar o visto estudantil e em três meses já tinham torrado todo o orçamento, se complicando muito para se manter aqui pois ainda não tinham sequer começado a procurar emprego. Tenha sempre muito controle e tente ao máximo seguir o planejado, se o orçamento for curto. De fato, Dublin é uma cidade que oferece muitos programas gratuitos como parques e museus, mas a vida norturna aqui tem todo um charme que nos convida sempre a querer explorar mais um cantinho da cidade.
Além das aulas de inglês que faço na Delfin, e recomendo muito a escola, faço também espanhol na Charpterhouse, mais um ponto positivo para a MD4S que nos oferece gratuitamente essa oportunidade, independente de qual escola de inglês você se matricular. Esta é uma forma de ampliarmos muito nossa rede de contatos e uma terceira língua mais familiar à nossa nos coloca em contato com mais pessoas que vivem aqui. Vale muito a pena para quem quer absorver a cultura e todas as nuances de Dublin.
Viver no centro da capital irlandesa é conhecer gente do mundo todo, inclusive brasileiros, pois aqui se concentram as escolas. Vejo pontos positivos e negativos nisso. Para aprender inglês, o ideal é viver a língua em tempo integral, o que não é tão fácil quando se mora com brasileiros. Por outro lado, os brasileiros se ajudam muito, tanto em relação à moradia quanto com indicações de emprego. E no meu segundo mês na terra dos Leprechauns, pude fazer o meu primeiro freelance de kitchen porter, graças a uma indicação.

Foto 4
Os dias vão passando, você vai se estabilizando, vai se acostumando a falar com a família e amigos pela internet e aí você vai se sentindo em casa. Sou de São Paulo e ando por aqui tranquilamente, sem sentir medo. Me previno da melhor forma, evitando andar sozinho pela madrugada ou carregar grandes valores comigo por aí. Dicas que valem para qualquer lugar do mundo. Não dá para comparar o nível de violência da minha cidade (e muito amada São Paulo) com Dublin e, de fato, nestes dois meses eu não tive nenhuma experiência ruim por aqui, mas sempre tomando medidas básicas de segurança pessoal.
E vou seguindo minha jornada por aqui, acompanhando todas as transformações sociais, comportamentais e culturais que esta incrível cidade vem passando, enquanto planejo os próximos passos do intercâmbio. Chegar aqui com um bom planejamento e o auxílio da equipe da MD4S com certeza me ajudou a realizar o desejado intercâmbio, este que sempre foi um sonho, como naturalmente novos sonhos continuam a surgir a cada conquista alcançada.
Um agradecimento especial aos meus amigos da equipe MD4S, por todo o profissionalismo, parceria, paciência, tranquilidade e zelo.
Desejo a vocês muito sucesso!

Guilherme Ghelfi.

Encarar ou não o “subemprego”?

Antes de responder a essa pergunta, que tal uma reflexão?

Você gostaria de voltar para o Brasil só por não ter conseguido o emprego dos sonhos na Irlanda e abandonar a oportunidade de viver, estudar, passear e conhecer pessoas do mundo inteiro em lugares que você nunca imaginou estar antes?
Foto 1
Baseado nisso é que afirmamos com convicção que apelar para um subemprego não é nada ruim, que não há nada de errado nessa escolha, desde que este subemprego não afete a sua saúde, é claro.
Devemos lembrar que empregos como ajudante de cozinha, babá, faxineiro, entregador de jornal, plaqueiro etc., são funções que existem em grande quantidade no Brasil como em qualquer lugar do mundo. Por serem funções tão comuns e necessárias, você não deve se sentir inferiorizado por aceitar uma dessas posições.
Trabalhar nesses “subempregos” para se manter no exterior é uma realidade muito mais comum do que se pensa quando falamos de programas de intercâmbio, não só aqui na Irlanda, mas em qualquer outro país.
São nesses subempregos que você vive a rotina de um restaurante, de uma casa de família, conhece os costumes locais, as regulamentações e práticas utilizadas, fatores que são fundamentais para a sua vivência no exterior e que agregarão valor considerável ao seu currículo.
Encare como uma experiência temporária
Subemprego, segundo o dicionário, é a ação e o efeito de subempregar. Este verbo significa empregar alguém num posto inferior àquele que lhe corresponderia tendo em conta as suas qualificações.
Uma vez dada essa definição, que muitos julgavam errônea e popular, é importante compreender que os subempregos acabam acontecendo por períodos temporários, como é o caso do intercâmbio.  Desta forma, entender que você não atuará naquela posição pela vida toda facilitará — e muito — a forma com que você lidará com a situação, pois terá a certeza de que aquilo terá fim. Aliás, se fosse uma experiência tão ruim não existiriam tantos estudantes renovando ano após ano.
Além disso, o trabalho informal é a realidade da maioria dos intercambistas que decidem se aventurar pelo mundo, uma vez que a barreira linguística precisa ser superada para que seja possível, então, almejar oportunidades melhores. No final das contas, estamos todos no mesmo barco: estudantes vivendo em país estrangeiro, com regras a cumprir — especialmente aquela que limita as horas de trabalho a 20 semanais durante o período de aulas.
Que tal adotar o pensamento de que o subemprego “faz parte” da experiência?
Um dos aspectos mais interessantes da vida dos intercambistas é justamente o fato de viverem de forma totalmente inusitada e diferente da que se tinha no Brasil. É  aí que aprendemos a valorizar coisas que a gente nem dava conta quando estávamos no conforto do nosso país, circundado de amigos e caras conhecidas falando a nossa língua materna.
Lembre-se porque você chegou aqui
Nem sempre é fácil!
Nos primeiros três dias de emprego o Victor quase desistiu. O primeiro pensamento dele era o de que era “complicado estudar cinco anos de engenharia no Brasil e acabar lavando louça em outro país”. Passado um tempo, ele percebeu que isso fazia parte da escolha de fazer um intercâmbio. Se você perguntar se ele gostava do trabalho, a resposta será negativa. Entretanto, sem qualquer sombra de dúvidas, afirmamos que a experiência é única!

Tamanha era a nossa vontade de guardar dinheiro para viajar que, mesmo tendo um emprego pesado no restaurante, o Victor passou a entregar comida à noite com a bicicleta dele. E é nessas horas que você mede o seu esforço quando tem um propósito, pois vê exatamente o que é capaz de fazer a fim de atingi-lo. Todavia, esta é uma questão bastante subjetiva, pois cada um sabe qual é a própria necessidade e tem consciência de quanto esforço é capaz de fazer para alcançar os seus objetivos.
Lembra-se da parte do temporário?
Pois é… A vaga que o Victor conseguiu no restaurante, cujas tarefas eram pesadas o bastante, e muito abaixo das expectativas dele, pode não ser a ideal, mas proporcionou ao Victor a evolução do inglês básico para o fluente, fizemos aquele mochilão dos sonhos, conhecendo 12 países europeus ao longo dos nossos 12 meses na Irlanda, além de ter possibilitado uma “pesada” bagagem cultural e um amadurecimento emocional — e de vida — que ele jamais teria alcançado no conforto do seu trabalho promissor no Brasil.
Nossa dica é: mantenha sempre em mente o que te trouxe para o intercâmbio. Sejam quais forem os seus objetivos, você enfrentará desafios, e o subemprego é apenas um deles.
Encare a realidade
É muito comum as pessoas virem para a Irlanda com o sonho de fazer um belo “pé de meia” para voltar muito bem para o Brasil. O problema é que as pessoas parecem se esquecer de encarar a realidade, que não é tão fácil como parece. Empregos não caem do céu na Irlanda e nem na China!
Eu, Carolina, trabalhei em um escritório, assim como trabalhava no Brasil, mas ocupando um cargo consideravelmente mais baixo. Ainda assim, não era paga nem um centavo a mais, por hora, que o Victor, que trabalha em um restaurante. Não me importava em trabalhar como assistente administrativo/financeiro na Irlanda após ter saído de um emprego de coordenadora de importação no Brasil. O meu intuito, assim como o da maioria dos estudantes brasileiros, era realizar uma imersão cultural e aprimorar o inglês. Eu não viraria as costas por oportunidades inferiores às que eu tinha no Brasil por simples capricho.

Foto 3

Não é à toa que o fato de ter realizado um intercâmbio aumenta — e muito — as suas chances de abocanhar uma boa vaga no Brasil, pois além da questão idioma, os entrevistadores sabem muito bem que uma experiência no exterior proporciona uma bagagem valiosa, que inclui, entre outras coisas, uma visão mais apurada e complexa de mundo, flexibilidade para lidar com adversidades e outros tantos fatores que você aprenderá “na marra” ao estar em um país completamente diferente do seu.
Por isso, a dica é que você agarre a oportunidade que aparecer, pois emprego está difícil em todo lugar e o intercâmbio não durará a vida toda, mas o suficiente para que, lá na frente, além da bagagem, você tenha muita história para contar, geralmente com situações muito desafiadoras e muitos relatos de superação.

Este artigo também está disponível no portal do e-Dublin através deste link aqui.
Se você quiser entrar em contato com a Carolina Ojeda e o Victor Lorasque para informações e cotações de intercâmbio, envie um e-mail para agência MD4S de São Paulo e agende a sua visita: saopaulo@md4s.org

Ser Bilíngue Proteje Nosso Cérebro

blog_titulo_alzheimer

Um estudo feito pela psicóloga Ellen Bialystok e seus colegas da York University em Toronto comprova que o cérebro de pessoas bilíngues funciona melhor, e além disso, conseguem lidar melhor com o mal de Alzheimer. Durante seu estudo, ela selecionou 450 pacientes que haviam sido diagnosticados com o mal de Alzheimer, metade delas era bilíngue e a outra metade falava apenas um idioma. Embora todos eles estivessem com a doença em um mesmo estágio, os bilíngues haviam sido diagnosticados mais ou menos quatro anos mais tarde e relataram que os sintomas começaram a aparecer cerca de cinco anos mais tarde do que os não bilíngues. De acordo com os pesquisadores, todos eles realmente tinham o mesmo nível de comprometimento, porém, os bilíngues eram quatro ou cinco anos mais velhos, o que significa que eles foram capazes de lidar melhor com a doença e por mais tempo.

Após exames cerebrais, foi constatado que o cérebro dos pacientes bilíngues possuem deterioração mais avançada, no entanto, essa diferença não é visível através dos comportamentos ou habilidades, ou seja, os bilíngues agem como se a doença estivesse em um estágio muito menos avançado. Assim que a doença começa a comprometer uma região do cérebro, os bilíngues podem continuar a funcionar normalmente. Segundo os pesquisadores, ser bilíngue não irá prevenir a doença, mas com certeza tornará mais fácil aos idosos lidar com ela.

Outros estudos também mostram que os benefícios causados ao cérebro ao de se falar mais de uma língua não são notados apenas naqueles que sempre foram bilíngues, mas também nos pacientes que aprenderam uma língua estrangeira mais tarde na vida.

Cientistas afirmam que a proteção causada pelo bilinguismo acontece devido a diferenças cerebrais. As pessoas bilíngues exercitam mais uma parte do cérebro chamada Sistema de Controle Executivo que envolve parte do córtex pré-frontal e outras áreas para que seus dois idiomas não interfiram um no outro, classificando com várias opções cada palavra, alternando entre as duas línguas e mantendo tudo organizado.

Fonte: Livescience.com

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Conheça a Giant’s Causeway

blog_titulo_calcada

A Calçada dos Gigantes, em inglês “Giant’s Causeway” está localizada na costa nordeste da Irlanda há aproximadamente 140km de Belfast. É uma região rochosa que contem cerca de 40 mil colunas de basalto, uma típica rocha vulcânica, formadas devido ao rápido resfriamento da lava de um vulcão que entrou em erupção há 60 milhões de anos atrás.

Drury_-_View_of_the_Giant's_Causeway

O local permaneceu desconhecido durante muitos e muitos anos devido ao isolamento da costa Antrim e só veio a ser encontrado no ano de 1963. A Calçada dos Gigantes está aberta para visitação durante todo o ano, inclusive no Natal e Ano Novo e foi nomeada como o melhor ponto turístico guiado da Irlanda. As rochas estão localizadas há 1km da estrada e você pode contar um serviço de transporte até lá. Ao entrar, você recebe um guia em áudio que no decorrer do seu passeio, conta todos os detalhes históricos do local. A paisagem é fantástica a qualquer hora do dia, mas há quem diga que ao amanhecer e ao entardecer, a beleza é ainda mais impressionante.

mccool3Segundo uma antiga lenda Celta, um gigante irlandês chamado Finn MacCool percorria a costa norte da ilha, de onde podia ver a Escócia através do estreito mar de Moyle. Um outro gigante escocês chamado Banandonner foi o maior rival de Finn e desafiou sua força e reputação. Finn decidiu convidar Banandonner para vir até a Irlanda para iniciarem uma batalha decisiva. Como não existia barcos grandes suficientes para que Banandonner pudesse atravessar o mar, Finn decidiu construir uma ponte de pedras enormes para conectar a Irlanda à Escócia, assim Banandooner não teria desculpas para evitar o confronto. Mas quando Finn se aproximou, percebeu que seu rival era muito maior e mais forte que ele e retornou para a Irlanda o mais rápido que pode. Chegando em casa, encontrou sua mulher que lhe deu um conselho. Pediu para que Finn deitasse em um berço, o disfarçou como um bebê e pediu para que ele fingisse que estava dormindo. Em pouco tempo, Banandonner apareceu perguntando por Finn. A mulher pediu para que ele falasse baixo pois seu filho estava dormindo e não podia acordar. Banandooner viu aquele bebê gigante dormindo pensou que Finn seria na verdade o pai e ficou imaginando o seu tamanho. Assustado, Banandooner voltou para a Escócia destruindo a ponte para que o suposto pai não pudesse ir atrás dele.

Essa é a lenda da Calçada dos Gigantes. De um certo ponto, é possível mesmo enxergar a Escócia e várias colunas de pedras quebradas que ficaram pelo caminho.

Para visitar a Calçada dos Gigantes, você pode aproveitar as excursões oferecidas pela sua escola ou pela MD4S. Mas se você quiser se aventurar um pouco mais, uma ótima dica é alugar um carro. Você pode ver como alugar um carro em Dublin clicando AQUI.

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

6 Destinos Que Devemos Evitar Em 2014

blog_titulo_destinos

 

Quem não gosta de viajar?! Conhecer outros países e encher o Facebook com fotos do mundo inteiro. Não há nada de errado nisso e todos nós devemos mesmo dar um jeitinho de viajar. Entrar em um avião com destino a diversos países não é um gasto a mais e sim um investimento, pois não há melhor maneira de aprender, crescer e viver do que viajando. Porém, antes de sair comprando passagens pra qualquer canto, é bom ficar esperto com alguns destinos que não são muito recomendados devido a violência, condições de vida da população, crise política ou alguma outra razão. Confira agora uma breve relação com os 6 destinos que você mais deve evitar esse ano:

 

madagascar06 – Madagascar
Desde Janeiro de 2009, Madagascar encontra-se em uma luta violenta sem fim devido ao grande descontentamento da população com relação ao seu governo. Esse é com certeza um destino que deve ser evitado.

 

arabia05 – Arábia Saudita
Devido a presença de um grande número de unidades terroristas espalhadas por todo o país, alguns deles aliados a Al-Qaeda, a Arábia Saudita não é um bom país para se conhecer no momento.

 

colombia04 – Colômbia
A Colômbia infelizmente deve estar nessa relação devido ao seu problema com o narcotráfico. A segurança do país se desenvolveu bastante com o passar dos anos mas o tráfico de drogas ainda é um problema incontrolável por lá, principalmente na cidade de Buenaventura onde o índice de violência também é bem alto.

 

rep_centro_africana03 – República Centro Africana
Apesar da capital da Republica Centro Africana (Bangui) ser considerada inofensiva, não é uma boa ideia viajar por outras regiões do país. Você correrá sérios riscos de encontrar com bandos de rebeldes armados, ladrões, bandidos entre outras coisas que o governo local não consegue controlar.

 

Georgia02 – Geórgia
Com o aumento da corrupção e violência, hoje é comum cenas de grandes tiroteios na Geórgia. Então, é melhor não arriscar e ficar longe.

 

mexico01 – México
A grande epidemia de Gripe Suína que já atingiu o estágio 5 segundo a Organização Mundial da Saúde é um dos motivos pelos quais você deve manter distância do México. Além disso, o tráfico de drogas e a violência também são fatores que merecem a nossa atenção.

 

Fonte: Escapehere

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Comprar ou não um Seguro Privado?!

blog_titulo_seguroO

Se você está vindo pra Irlanda em breve e está na dúvida se deve adquirir um seguro viagem, talvez esse post ajude você a decidir. Dependendo do tempo que você for ficar fora do Brasil, o seguro pode acabar custando bem caro e isso desanima um pouco na hora de fazer as contas. Primeiramente, você deve pensar sobre os motivos pelos quais você pagaria por um seguro.

EU DEVO COMPRAR UM SEGURO POIS:
– Sou portador de alguma doença crônica
– Tenho algum tipo de alergia
– Fico doente com facilidade
– Preciso estar em constante acompanhamento médico
– Sou muito desastrado e vivo me acidentando em casa
– Sou desatento e poderei me confundir com o trânsito invertido da Irlanda
– Pratico esportes radicais
– Pratico esportes não tão radicais mais sou muito mole e sempre me machuco
– Sempre mudo de ideia de uma hora pra outra e posso querer cancelar minha viagem
– Vou levar coisas importantes ou de valor nas malas

Se você não se identificou com nenhum dos itens acima, então provavelmente você não precisa gastar com seguro. Mas espera aí! Pense mais um pouco… Continue reading “Comprar ou não um Seguro Privado?!”

Como Alugar um Carro em Dublin

blog_titulo_carro

Boooom diaaa queridos leitores, tudo certo? =)

O post de hoje é dedicado à aqueles que querem vir pra Dublin (ou já estão aqui) e morrem de vontade de dirigir na mão “errada”. HEHE

Ao contrário do Brasil, aqui na Irlanda você pode encontrar bons carros para alugar por preços incrivelmente baixos. Mas também, vale a pena ficar de olho pra não acabar pagando mais caro do que pretende. Os requisitos obrigatórios para poder alugar um carro aqui são apenas dois:

– Ter mais de 25 ano de idade

– Ter carteira de motorista há mais de 7 anos

Algumas empresas de aluguel de carros acabam passando por cima das leis de vez em quando e liberam os carros para motoristas com menos tempo de carteira, não sei se é proposital ou por descuido do atendente então, vai da sua sorte. É importante lembrar que a carteira de motorista do Brasil é válida aqui na Irlanda por um ano. Se você está aqui há mais de um ano, poderá alugar um carro normalmente mas se a GARDA parar você e pedir sua habilitação, você terá um problema. Algumas empresas previnem esse tipo de coisa exigindo a apresentação do seu GNIB na retirada do veículo, mas isso não é comum de acontecer.

Para alugar o seu carro, tudo que você precisa fazer é acessar o site http://www.carhire.ie/ e fazer uma busca informando onde você deseja retirar e devolver o carro, as datas e horários.

alugar_carro_01

Agora você pode escolher o carro que mais gostar, mas preste bastante atenção nos itens que descrevem o carro. Alguns modelos são para 3 pessoas, outros 4 ou mais, alguns carros possuem limite de bagagem, câmbio automático ou manual e etc. Tudo isso interfere no valor do carro.

alugar_carro_02

No passo seguinte, você poderá adicionar itens como GPS, cadeira especial para bebês, e o mais importante… outro motorista. Se você vai viajar com os seus amigos e todos querem dirigir, você deve adicionar motoristas. Algumas empresas não pedem a carteira de motorista dos demais, nesse caso, você pode adicionar apenas mais um motorista e todos poderão dirigir, mas se na hora de retirar o carro pediram a habilitação do segundo motorista, então somente vocês dois poderão “pilotar o carango”.

alugar_carro_03

Agora, o último passo é preencher os seus dados e efetuar o pagamento. Você pode pagar com seu cartão de débito ou crédito. O valor cobrado será de 60% do valor total do aluguel, o restante deverá ser pago na hora de retirar o carro.

Para retirar o seu carro, você precisa apenas apresentar a sua carteira de motorista (e GNIB, se pedirem) e fornecer o seu cartão de crédito para que seja cobrado o valor pendente. Em seguida o atendente irá levar você até o carro e você já pode viajar.

Fique esperto

Preste bastante atenção nas instruções do atendente pois ele vai te falar várias coisas sobre seguro e combustível. Vá retirar o seu carro ciente de que você pagará alguma coisa a mais pois sempre há uma taxa administrativa ou seguro que não estava incluso. Esse valor a mais deve ser em torno de 20 euros. Se não houver nada pra pagar, melhor.

Será cobrado no seu cartão um valor muito alto que pode te assustar, em média 170 euros, mas não se preocupe. Nesse total está incluso aquele valor pendente, o seguro, todas as outras taxas que são incluídas depois e mais uns 120 euros de combustível pois você vai pegar o carro com o tanque cheio. Se você devolver o carro com o tanque cheio novamente, esse valor será devolvido pra você, mas se o carro retornar com meio tanque, por exemplo, irão descontar desse valor e te devolverão o restante. Eu recomendo que você abasteça o carro antes de devolver pois com certeza o combustível das empresas de aluguel são mais caros. Rsrs

Outra coisa importante… se você está alugando o carro para ir para a Irlanda do Norte, você terá que pagar também uma taxa de 30 euros. Não sei se todas as empresas cobram essa taxa, mas a Europcar cobra!

Agora preste bastante atenção no trânsito, dirija com responsabilidade e divirta-se!

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

 

Como Aprender Inglês em Casa

blog_titulo_sites

Como somo sortudos de vivermos essa geração, não é mesmo? A tecnologia, os computadores, a internet… Tudo isso surgiu pra facilitar a nossa vida, o nosso trabalho e também os nossos estudos. Hoje é possível encontrar diversos websites e aplicativos que ajudam muuuuito na hora de estudar inglês e é sobre isso que vamos falar hoje! :)

É totalmente possível aprender inglês sem sair de casa então imagine só o quanto você pode melhorar o seu inglês fazendo um intercâmbio, estudando e praticando em casa também! Prepare um espacinho na barra de Favoritos do seu navegador e dê uma olhada nesses websites:

 

livemocha

1- LiveMocha: Um dos melhores serviços disponíveis na internet atualmente, o LiveMocha é uma espécie de rede social. Você estará em contato com diversos amigos do Facebook e outros que você irá adicionar no decorrer do seu aprendizado. O website disponibiliza diversas aulas e exercícios que explicam do básico ao avançado. Além do mais, você poderá conversar com pessoas nativas e praticar bastante. O mais legal é que você também poderá ajudar alguém a aprender português. Uma troca de aprendizado que irá garantir momentos super divertidos!

duolingo

2- Duolingo: Aqui você terá um curso completo de idiomas de graça para acessar quando quiser. Com diversos testes e exercícios que farão você memorizar cada regra sem dificuldades. Você poderá competir com os seus amigos do Facebook e ver quem está aprendendo mais rápido. O sistema abrange  diversos temas como culinária, esportes, lazer, cultura, entre outros e assim fica fácil aprender sobre tudo! Mais um website que vale a sua visita!

bbc

3- BBC – Aprenda Inglês: No site da BBC você encontra notícias atualizadas em inglês ótimas para praticar. O website disponibiliza as notícias em áudio para que você possa ler enquanto escuta a narração. Você também terá uma lista de vocabulário e até mesmo alguns exercícios para fazer. Uma ótima maneira de aprender inglês enquanto se atualiza sobre as notícias do mundo.

lingualeo

4- LinguaLeo: Quem já dizia que é possível aprender brincando estava totalmente certo, e o LinguaLeo é um exemplo disso! Aqui você terá a companhia de um leãozinho muito engraçado chamado Léo que irá ajudar você a aprender inglês através de jogos e brincadeiras super divertidas. Se você não gosta de estudar e só vai pro computador pra jogar, que tal experimentar esse aqui?!

lyricstraining

5- Lyrics Training: Pra quem gosta de ouvir música, o website Lyrics Training é uma ótima opção. Lá você deverá completar trechos da letra da música que está tocando. A galeria do site conta com uma infinidade de títulos e artistas fazendo com que você fique horas grudado no computador brincando e trainando seu “listening”.

englishExperts

6- English Experts: Um lugar onde você poderá encontrar uma infinidade de informações úteis. Dicas de como empregar determinadas regras no inglês, como utilizar preposições, como traduzir frases, erros comuns, ditados populares, gírias, enfim… Um super e completo material pra você consultar todos os dias.

inglesSupermercado

7- Inglês no Supermercado: Aqui você encontra diversas curiosidades que vão te ajudar bastante a entender o inglês dos nativos. Com uma metodologia descomplicada e divertida, o Inglês no Supermercado explica pra você e porque das coisas. Você vai se sentir um expert no idioma logo logo. :)

 

youtube

Outra maneira de se aprender inglês on-line, é seguindo bons canais no Youtube de aulas e dicas de inglês. Existem diversos canais com essa finalidade e é interessante seguir todos que você encontrar pois sempre você irá aproveitar informações de todos eles. Alguns canais que recomendamos são:

Imagem não carregadaImagem não carregadaImagem não carregadaImagem não carregadaImagem não carregadaImagem não carregada

Existem muitos outros canais bons que podem te ajudar bastante. Dê uma procurada, tire algumas horinhas do seu dia para assistir alguns vídeos e complemente seus estudos. Com certeza você vai perceber uma grande melhoria. =)

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

 

Novas Tarifas de Energia Elétrica

blog_titulo_energia

Recentemente a Electric Ireland anunciou que a partir do dia 1 de Janeiro, novas tarifas seriam cobradas pelo consumo de energia elétrica. Esses novos valores já estavam sendo cobrados pelas outras empresas concorrentes desde o Outubro de 2013. O aumento de 1,50% não foi tão grande, mas vale a pena ficar esperto para cada centavo que sai do nosso bolso. Se você utiliza a Electric Ireland ou a Airtricity como fornecedora de energia, segue abaixo a tabela de preços por kw/h de cada uma delas:

 

Airtricity

Airtricity

Electric Ireland

ImageProxy

Para ajudar você a dar aquela economizada na conta de energia, vale a pena conferir a nossa postagem sobre Como Economizar em Casa CLICANDO AQUI.

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Como se Comportar no Exterior

blog_titulo_modos

Vir para o exterior é o sonho de muitos brasileiros. Você que conseguiu realizar esse sonho ou está próximo disso, não arrisque estragar os bons momentos fora com algumas atitudes que podem ofender o povo do seu país anfitrião. Os brasileiros são famosos por serem calorosos, hospitaleiros mas também por acharem que podem tudo em qualquer canto do mundo. Por isso, antes de embarcar no seu intercâmbio, seja pra Irlanda ou pra qualquer outro país, reserve um tempinho para estudar a cultura saber dos costumes locais para não cometer gafes que podem deixar você em uma situação bastante constrangedora.

Desde o seu comportamento até algumas expressões ou gestos devem ser cuidadosamente estudados para que você não ofenda ou se sinta ofendido por alguém, então, vale a pena ficar ligado nessas dicas.

Em primeiro lugar, ser educado é um fator primordial em qualquer canto do mundo. Acostume-se a dizer obrigado, pedir desculpas, desejar um bom dia ou boa noite e soltar mais elogios do que críticas (mas sem exageros). Não pense que em toda a Europa os costumes são os mesmos. Pra você que está vindo pra Irlanda e pensa em viajar para conhecer alguns cantos do continente europeu, segue alguns cuidados que você deve tomar:

franca

Na França: Evite conversar com alguém com as mãos no bolso pois isso pode parecer indelicado mesmo que você não esteja conversando com um nativo. Palitar os dentes é um ato muito mal visto então jamais faça isso em público. Se a sua viagem é a trabalho, evite chamar as pessoas pelo primeiro nome pois lá, os contatos profissionais são tratados pelo sobrenome, como estamos acostumados a ver em alguns filmes americanos. Antes de ir para a França, estude alguns termos em francês pois os nativos serão mais atenciosos com você se perceberem que conhece algumas palavras do idioma deles.

uk

Na Inglaterra: Se você combinar algo com um britânico como um jantar, um passeio ou uma reunião de trabalho, evite atrasos. Os ingleses são famosos por serem os mais pontuais do mundo. Lá, assim como aqui na Irlanda, as pessoas fumam bastante, seja em bares, hotéis, restaurantes ou onde quer que estejam, então, não estranhe. Caso você marque um jantar na casa de algum nativo nem pense em limpar o molho do seu prato com um pedaço de pão, isso é comum no Brasil mas na Inglaterra não é nada apropriado.

italia

Na Itália: As refeições são compostas por diversos tipos de pratos mas nunca a salada é servida antes ou junto com os pratos quentes. Prepare-se para conviver com os fumantes pois assim como na Inglaterra, os italianos fumam bastante em qualquer lugar. Se você for comprar uma fruta, pergunte ao atendente se ela está verde ou madura pois eles ficarão bravos se você tentar apertar alguma delas para descobrir.

alemanha

Na Alemanha: As mulheres jamais pedem bebidas alcoólicas em bares ou restaurantes, os drinks devem ser oferecidos pelos homens. Se você quer ou precisa sair de camisa e paletó, vá preparado para ficar com ele o tempo todo pois será muito mal visto se você tirar o paletó, mesmo que esteja muito calor e será ainda pior se arregaçar as mangas, portanto, fique atento. Sempre que for cumprimentar alguém, tome cuidado para não manter a outra mão no bolso pois isso é encarado como uma tremenda falta de educação.

espanha

Na Espanha: Assim como na Itália e na Inglaterra, os espanhóis fumam muito mais do que os brasileiros e em qualquer lugar. Se você sair pelas ruas logo depois do horário de almoço, não estranhe se encontrar grande parte do comércio fechado pois os espanhóis costumam tirar um cochilo por algumas horas. Essa é a famosa “ciesta”.  

 

Vale também seguir algumas regras gerais ao visitar qualquer país do mundo para evitar problemas. Fique atento com:

Gestos e comportamento

Alguns gestos que utilizamos no Brasil podem ser ofensivos em outras culturas, então evite falar demais com as mãos ou fazer muitas mímicas. O blog Dublin para Brasileiros já falou sobre isso e mostrou 8 gestos que devem ser evitados no exterior. Você pode conferir o post deles CLICANDO AQUI. Abaixo segue um vídeo do blog Lista10 que mostra mais alguns gestos e seus significados fora do Brasil.

Evite falar alto nas ruas, gargalhar ou fazer muito escândalo em público, apesar de não ser muito elegante, isso é comum no Brasil mas geralmente é muito mal visto no exterior. Seja o mais discreto possível se sentir vontade de espirrar. Se você tem rinite alérgica, ande sempre com um lenço de papel no bolso e coloque-o na frente da boca quando for espirrar. Se precisar assoar o nariz, vá até o banheiro ou faça-o da maneira mais discreta possível. Se você está com o seu namorado ou namorada, evite amassos ou beijos mais quentes em público. Andar de mãos dadas ou abraçados tudo bem, mas ficar se pegando já pode ser um problema. Sempre que esbarrar em alguém, peça desculpas, mesmo que a culpa não seja sua e evite ficar encarando as pessoas pois em alguns lugares isso é tratado como uma humilhação.

Roupas

Procure saber sobre como as pessoas se vestem antes de entrar no país. Se você não tiver tempo, na dúvida, evite roupas curtas e decotadas. Se você for a praia, não use biquínis muito pequenos pois mesmo em países onde o topless é liberado, os biquínis brasileiros são um absurdo. Os homens não tem tantos problemas com isso, basta calça jeans e uma camisa para estarem bem vestidos em qualquer lugar.

Assuntos Polêmicos

Evite puxar assunto e fazer amizades falando sobre religião, esporte, política ou fazendo piadas. Em alguns países, determinados assuntos são tratados com extrema seriedade e devem ser conversados com muita cautela. Nem todo lugar é como no Brasil onde rimos de tudo, o bom humor varia bastante de cultura para cultura.

Homens, evite ficar encarando ou mexendo com as mulheres na rua. No Brasil é comum esse tipo de flerte mas no exterior isso pode ser muito feio e pode até gerar uma briga. Seja respeitoso e evite tocar nas meninas se você não as conhece. Ao cumprimentar, lembre-se que você não está no Brasil e o beijo no rosto pode não ser uma boa ideia, na dúvida, utilize o famoso e mundialmente conhecido aperto de mão pois mesmo que não seja o cumprimento oficial daquele país, você não estará cometendo nenhuma gafe.

 

Fontes: revistaturismo.com.br ; passagensaereas.com.br

 

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com