Um Pouco Sobre As Pontes De Dublin

blog_titulo_pontes

Todos os dias milhares de pessoas atravessam o Rio Liffey. Os turistas sempre tranquilos, fotografando tudo ao redor e apreciando a vista. Já os intercambistas e trabalhadores, geralmente passam por alí apressados pois estão atrasados para a escola ou para o trabalho. De qualquer modo, por mais que passamos por elas diariamente, nunca paramos pra pensar na história daquela ponte. Hoje o Dublin Aqui Vou Eu mostra pra você as pontes de Dublin. Uma viagem no tempo para você descobrir como elas foram construídas e o que mudou desde o início.

O’Connel Bridge

As fotos a seguir mostram a O’Connel Bridge que foi construída em 1905. Na foto mais antiga você pode notar o prédio da Dublin Bread Company como sendo o mais alto no horizonte. Esse prédio foi totalmente destruído durante a “Revolta da Páscoa” em 1916.

Grattan Bridge

Essa é a ponte que liga a Parliament St. com a Capel St. A foto a seguir mostra a Essex Bridge construída em 1870. Note a presença do Four Courts (prédio redondo ao fundo) e a reutilização dos pilares da ponte.

Ha’penny Bridge

A Ha’penny Bridge, conhecida entre os brasileiros como “Ponte dos Cadeados” foi construída em 1980. Ela foi a primeira ponte exclusiva para pedestres a ser construída na Irlanda.  É possível notar nas fotos a evolução significativa na estrutura da ponte, mas sempre mantendo seu design histórico.

Samuel Bucket Bridge

A Samuel Bucket Bridge foi inaugurada em 10 de Dezembro de 2009 mas já estava sendo planejada há muito tempo. Ela é uma ponte móvel com 123 metros de extensão que gira 90 graus para liberar a passagem pelo Rio Liffey. A ponte que homenageia o escritor Samuel Bucket, nascido em Dulin e vencedor do prêmio Nobel da Literatura em 1969 tornou-se símbolo da cidade e estampa lindos cartões postais. Na foto a seguir você pode ver a ponte chegando em Dublin.

 

Fonte: Bridges of Dublin

 

Você conhece mais algum aplicativo e gostaria de compartilhar conosco? Então, deixe um comentário aí! 😉

7 Coisas Que Talvez Você Não Sabia Sobre a Irlanda

blog_titulo_curiosidades

 

A Irlanda, assim como sua população e história possuem algumas curiosidades que talvez você ainda não tenha lido em outro lugar. Que tal listarmos algumas delas e depois você comenta aí em baixo quais você já conhecia. Vamos lá!? :)

 

Playboy

1- A Revista Playboy foi banida na Irlanda até 1995

Até o ano de 1995, os irlandeses podiam assistir ao canal Playboy TV mas não podiam comprar a revista que foi banida pelas leis da censura.

 

Guinness

2- A cerveja Guinness é mais vendida na Nigéria do que na Irlanda

Parece estranho, mas é verdade. A Irlanda fica na terceira posição no quadro de países onde a cerveja Guinness é mais vendida, A Nigéria ocupa a segunda posição e a Inglaterra fica em primeiro lugar.

 

Chuva

3- No verão de 2007, a Irlanda passou 40 dias em baixo de chuva constante

Que é normal chover na Irlanda todo mundo sabe, mas em 2007 as coisas saíram um pouco do controle de São Pedro. No dia 24 de Agosto completou-se 40 dias de chuva, seguidos, sem pausa! Até para os padrões irlandeses esse foi um verão bem atípico.

Alcoolismo

4- Os irlandeses não bebiam tanto assim nos anos 90

Quando pensamos na palavra “irlandês”, logo associamos a algum tipo de bebida alcoólica. Isso acontece pois os irlandeses consomem mais álcool do que em qualquer outro país da Europa. Mas isso não foi sempre assim. Até a chegada do século XXI, o consumo de álcool da Irlanda por população era extremamente moderada, chegando a haver uma grande abstinência de bebidas alcoólicas no país.

 

U2

5- Somente dois membros da banda U2 são realmente nascidos na Irlanda

Apenas Bono Vox e Larry Mullen Jr. são realmente nascidos na Irlanda. The Edge nasceu em Londres e se mudou para Malahide com seus pais quando tinha apenas 1 ano de idade. Adam Clayton, baixista da banda, nasceu em Oxfordhire, na Inglaterra. Sua família se mudou para Malahide quando Adam tinha 5 anos de idade e logo ele se tornou amigo de The Edge.

 

Sim_Nao

6- A primeira língua oficial do país não possui as palavras SIM e NÃO

O Gaélico, ou irlandês não é muito usado no dia-a-dia dos irlandeses mas ainda é ensinado nas escolas e cerca de 40% da população se considera expert no idioma. Uma grande curiosidade do gaélico é que não existem traduções correspondentes às palavras SIM e NÃO. Ao invés disso, os irlandeses respondem perguntas de positivo ou negativo repetindo o verbo. Um exemplo em inglês seria:

Pergunta: It’s cold, isn’t it?

Resposta: Yes, it’s cold.

Que em gaélico ficaria:

Pergunta: Tha i fuar, nach eil?

Resposta: Tha tha i fuar.

 

Irlandeses

7- A população total da Irlanda é de 6 milhões de habitantes, porém, há cerca de 80 milhões de requisições da cidadania irlandesa por ancestrais em todo o mundo

No século 19, grande parte da população irlandesa que dependia da agricultura para sobreviver abandonou a ilha fugindo da “Irish Potato Famine”, uma crise na agricultura que causou uma enorme escassez de alimentos no país. Isso pode explicar o grande número de descendentes irlandeses espalhados por todo o mundo.

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Conheça a Giant’s Causeway

blog_titulo_calcada

A Calçada dos Gigantes, em inglês “Giant’s Causeway” está localizada na costa nordeste da Irlanda há aproximadamente 140km de Belfast. É uma região rochosa que contem cerca de 40 mil colunas de basalto, uma típica rocha vulcânica, formadas devido ao rápido resfriamento da lava de um vulcão que entrou em erupção há 60 milhões de anos atrás.

Drury_-_View_of_the_Giant's_Causeway

O local permaneceu desconhecido durante muitos e muitos anos devido ao isolamento da costa Antrim e só veio a ser encontrado no ano de 1963. A Calçada dos Gigantes está aberta para visitação durante todo o ano, inclusive no Natal e Ano Novo e foi nomeada como o melhor ponto turístico guiado da Irlanda. As rochas estão localizadas há 1km da estrada e você pode contar um serviço de transporte até lá. Ao entrar, você recebe um guia em áudio que no decorrer do seu passeio, conta todos os detalhes históricos do local. A paisagem é fantástica a qualquer hora do dia, mas há quem diga que ao amanhecer e ao entardecer, a beleza é ainda mais impressionante.

mccool3Segundo uma antiga lenda Celta, um gigante irlandês chamado Finn MacCool percorria a costa norte da ilha, de onde podia ver a Escócia através do estreito mar de Moyle. Um outro gigante escocês chamado Banandonner foi o maior rival de Finn e desafiou sua força e reputação. Finn decidiu convidar Banandonner para vir até a Irlanda para iniciarem uma batalha decisiva. Como não existia barcos grandes suficientes para que Banandonner pudesse atravessar o mar, Finn decidiu construir uma ponte de pedras enormes para conectar a Irlanda à Escócia, assim Banandooner não teria desculpas para evitar o confronto. Mas quando Finn se aproximou, percebeu que seu rival era muito maior e mais forte que ele e retornou para a Irlanda o mais rápido que pode. Chegando em casa, encontrou sua mulher que lhe deu um conselho. Pediu para que Finn deitasse em um berço, o disfarçou como um bebê e pediu para que ele fingisse que estava dormindo. Em pouco tempo, Banandonner apareceu perguntando por Finn. A mulher pediu para que ele falasse baixo pois seu filho estava dormindo e não podia acordar. Banandooner viu aquele bebê gigante dormindo pensou que Finn seria na verdade o pai e ficou imaginando o seu tamanho. Assustado, Banandooner voltou para a Escócia destruindo a ponte para que o suposto pai não pudesse ir atrás dele.

Essa é a lenda da Calçada dos Gigantes. De um certo ponto, é possível mesmo enxergar a Escócia e várias colunas de pedras quebradas que ficaram pelo caminho.

Para visitar a Calçada dos Gigantes, você pode aproveitar as excursões oferecidas pela sua escola ou pela MD4S. Mas se você quiser se aventurar um pouco mais, uma ótima dica é alugar um carro. Você pode ver como alugar um carro em Dublin clicando AQUI.

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Conheça o Castelo de Malahide

malahide-title-blog

Malahide é uma região ao norte de Dublin muito conhecida por seu grande e antigo castelo que pertenceu a família Talbot por mais de oito séculos. O castelo tem muita história e segundo seus guias, muitos fantasmas também.

Inicialmente habitado por Sr. Richard Talbot em 1174 e pertencendo a dinastia Talbot até o ano de 1975, o Malahide Castle é o castelo mais antigo e histórico da Irlanda. O último senhor da família Talbot a ocupar o castelo faleceu em 1973, passando o castelo para sua irmã Rose. Em 1975 Rose vendeu o castelo para o Governo irlandês para que pudesse saldar dívidas e financiar os impostos sobre a enorme herança. Os móveis do castelo haviam sido vendidos antecipadamente, o que garantiu a Rose uma casa mais simples para morar. Hoje o castelo é mobiliado com peças antigas, características da época juntamente com uma coleção de pinturas irlandesas. A história da família Talbot está registrada no Grande Salão, com fotos de várias gerações que mostram a vida de altos e baixos que tiveram. Uma das histórias mais comoventes conta sobre a manhã da Batalha de Boyne em 1690 quando 14 membros da família almoçaram jutos nessa sala pela última vez pois em seguida, todos morreram em batalha. Muita coisa mudou no castelo e muitas reformas foram feitas, mas a essência e o ar de antiguidade ainda são características fortes do local.

 

Os fantasmas do Malahide Castle

O castelo de Malahide com mais de 800 anos de idade está repleto de espíritos que podem ser sentidos em cada cômodo. Muitos castelos antigos possuem um fantasma, ou até dois, mas em Malahide são pelo menos cinco deles.

Senhor Galtrim, Sir Walter Hussey

Em primeiro lugar está o fantasma do jovem Lord Galtrim, Sir Walter Hussey, filho do Barão de Galtrim, que faleceu em batalha no século XV no dia de seu casamento. O Senhor Galtrim vaga pelo castelo durante a noite com a ferida da lança que causou sua morte e emitindo sons aterrorizantes. Diz a história que o Senhor Galtrim permanece no castelo para demonstrar o ressentimento que sente pela esposa por se casar com seu principal rival logo após sua morte.

Lady Maud Plunkett

O segundo fantasma é da Lady Maud que não foi casada com o Senhor Galtrim porém teve como seu terceiro marido o Lord Chief Justice. Em suas aparições, ela persegue seu marido pelos corredores do castelo.

Miles Corbet’s

Talvez esse seja o fantasma mais famoso do castelo, a quem Cromwell concedeu o castelo durante seu protetorado. Miles teve suas propriedades tomadas e foi condenado a pagar pena pelos crimes que cometeu inclusive a profanação da capela da antiga abadia próxima ao castelo. Ele foi enforcado e esquartejado e quando seu fantasma aparece, geralmente está perfeitamente vestido como um soldado de armaduras, mas em seguida divide-se em quatro partes diante dos olhos de qualquer um que tenha a desagradável oportunidade de se encontrar com ele.

Puck

No século XVII, como era de costume das famílias mais importantes, os Talbots sempre tiveram alguns servos e entre eles alguns “palhaços”, tipo bobo da corte. Um desses palhaços, chamado “Puck” se apaixonou por uma parente da Lady Elenora Fitzgerald que foi presa por tentar ajudar os rebeldes. Em uma noite de neve em dezembro, Puck foi encontrado morto perto dos muros do castelo com várias facadas no coração. O fantasma de Puck apareceu pela primeira vez durante a última venda dos móveis do castelo em 1976. É possível vê-lo em diversas fotos do castelo e em uma foto em especial é possível enxergar seu rosto enrugado e velho olhando para a parede.

A Dama de Branco

Há muitos anos o castelo abriga uma imagem de uma senhora desconhecida, bonita e com um vestido esvoaçante pendurada no Grande Salão. Ninguém parece saber sua identidade ou a identidade do artista que a retratou. Dizem que as vezes a senhora sai da pintura e vaga pelo castelo na calada da noite. Muitas pessoas juram ter visto a tal senhora ao longo dos anos.

 

O Castelo de Malahide fica aberto para visitações todos os dias das 9:30 as 16:30 e oferece tour com guia profissional. Para chegar lá, você pode utilizar o Dart ou pegar o ônibus número 32 ou 42 no centro de Dublin.

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Conheça a Trinity College

TITULO_post

ATrinity College foi fundada em 1592 pela Rainha Britânica Isabel I com o propósito de dar condições para que a elite protestante pudesse ser educada sem que se misturassem com os católicos e também para demonstrar o poder Inglês sobre a ilha. Essa história de descriminação religiosa continuou por aproximadamente 200 anos até que os católicos começaram a ser aceitos na universidade, mas mesmo assim, até meados de 1873 ainda havia uma certa descriminação.

trinity-college-dublin-joe-burns

Hoje em dia, o Trinity College é uma das universidades de maior prestígio na Europa com mais de 15 mil alunos de todos os continentes. O campus está localizado no coração de Dublin e ocupa uma área de 190.000m² e conta com vários edifícios que valem muito a pena visitar como a antiga biblioteca e o museu. Ao longo dos anos, o Trinity College foi a universidade de algumas personalidades como Samuel Beckett, Bran Stoker, Oscar Wilde e Edmund Burke.

A entrada principal da universidade fica na College Green, um dos lugares com maior tráfego de pedestres e automóveis de toda a cidade. Ao entrar, temos a sensação de que passamos por um portal. A vista é linda e a movimentação geralmente é bem grande, porém mal se pode ouvir barulhos.

De todos os edifícios que se encontram dentro do campus, os mais interessantes se encontram ao redor de quatro praças que são:

Parliament/Library Square

News Square

Fellow’s Square

Botany Bay

Quase todas as construções foram construídas entre os séculos XVIII e XIX, exceto a Berkeley Library que foi construído na segunda metade do século XX.

Na Fellow’s Square se encontra a Old Library, a biblioteca que possui a maior coleção de manuscritos e livros impressos da Irlanda. Desde 1801 recebe um exemplar de todas as obras publicadas na Irlanda e Inglaterra, formando atualmente uma coleção de aproximadamente 3 milhões de livros divididos em oito edifícios.

O prédio da Antiga Biblioteca, construído entre 1712 e 1732 é o mais antigo de todos. A sala principal, conhecida como “Long Room” tem 65 metros de largura e contem mais de 200 mil livros. As infinitas estantes repletas de livros produzem um característico cheiro de madeira antiga enquanto bustos de mármore vigiam o ambiente. Em uma vitrine é exposta a arpa mais antiga da Irlanda, feita de carvalho e salgueiro com cordas de bronze. A biblioteca serviu de inspiração para George Lucas ao criar “Os Arquivos de Jedi” em seu filme “Ataque dos Clones” e de cenário para a filmagem de algumas cenas do filme Harry Potter.

Outra relíquia guardada na biblioteca é o “Book of Kells”. Um livro de mais de 340 páginas escritas e ilustradas a mão no ano 800 e possui os quatro evangélicos da bíblia escritos em Latim. Suas ilustrações são incríveis, com detalhes tão pequenos que mal podem ser vistos a olho nu. Acredita-se que o livro tenha sido escrito por apenas 3 escribas, provavelmente na ilha escocesa de Lona, onde monges irlandeses haviam estabelecido um mosteiro e foi levado para a Irlanda para protege-lo de ataques vikings.

O Trinity College fica aberto para visitas todos os dias as 9 as 21horas. Para visitar a Old Library, você precisa ir entre 9:30 e 17:00 e pagar 9 euros. Se você for depois das 16hrs é cobrado apenas a metade.

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Trânsito na Irlanda

paul_title

Ontem (Domingo) foi um dia cheio de tristezas para os inúmeros fãs do ator americano Paul Walker, protagonista da série dos cinemas Velozes e Furiosos. Depois de uma forte batida em um poste, o Porsche onde o ator estava de carona pegou fogo levando a morte dele e do motorista.

Esse tipo de notícia se torna cada vez mais comum em todo o mundo. O número de acidentes nas estradas tem aumentado bastante, principalmente no Brasil e é importante que cada um de nós alertemos nossos amigos e familiares para que respeitem as leis do trânsito e ajudem a mudar esses fatos.

A Irlanda é considerada o sexto país com o trânsito mais seguro da Europa com cerca de dez mortes por acidentes em um mês. Em contrapartida, o Brasil é dono do quinto trânsito mais perigoso do MUNDO! Temos que acreditar que as coisas podem mudar e fazermos nossa parte. Por isso nesse post de hoje vamos falar um pouco sobre o trânsito na Irlanda. Os costumes dos pedestres e motoristas que fazem com que a Irlanda tenha um trânsito tão seguro.

 

Respeito

Por aqui, os motoristas respeitam os pedestres por mais que a recíproca não seja verdadeira. 😀 Claro que sempre há alguns irritadinhos que buzinam porque estão com pressa, mas no geral, os pedestres tem a preferência por aqui.

As bicicletas também são respeitadas pois colaboram com o trânsito. Os ciclistas são obrigados a equiparem suas bicicletas com luzes de alerta e acenarem com as mãos antes de virar uma esquina ou mudar de faixa.

O respeito também existe entre os motoristas e as leis de trânsito. Os irlandeses costumam respeitar o limite de velocidade, não ultrapassam o farol vermelho nem com reza, param antes da faixa de pedestre, utilizam a seta e o mais importante… NÃO DIRIGEM EMBREAGADOS!

Se você sair em uma noite de balada e estiver são o suficiente para reparar nos carros que trafegam durante a madrugada, você vai perceber que a grande maioria, eu diria que uns 80% são taxis. Os irlandeses vão pra balada de ônibus, trem, a pé ou de carona e voltam pra casa de táxi quando não dormem por ali mesmo né! Se um motorista é pego dirigindo alcoolizado, ele é condenado por tentativa de homicídio. E não tem essa de negar o bafômetro não! Pro motorista ser preso, basta que o policial sinta cheiro de álcool no indivíduo.

 

Cinto de segurança

Todos os motoristas utilizam o cinto de segurança na cidade ou na estrada. O curioso é que os passageiros também utilizam o cinto pois caso o veículo seja parado por um policial, a multa por não utilizar o cinto não vai para o motorista e sim para quem estiver sem o cinto de segurança. =)

 

Os pedestres

Os pedestres são os mais apressadinhos. Muitas vezes atravessam antes do farol de pedestres ficar verde ou atravessam fora da faixa. Mas vale ressaltar que a maior parte dos pedestres que fazem isso não são irlandeses. Mesmo assim, os acidentes são raros graças a paciência dos motoristas!  :)

 

Você, meu amigo brasileiro que está vindo pra Irlanda, tome cuidado ao atravessar a rua. É muito comum a confusão por causa do tráfego que percorre no sentido contrário. E quando falar com seus familiares e amigos no Brasil, conte pra eles como é o transito aqui. Quem sabe com esse exemplo os brasileiros percebam que é fácil resolver esse problema e que vai ser muito melhor pra todo mundo se pararmos de perder pessoas que amamos.

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Phoenix Park

titulo

O Phoenix Park é a maior área de lazer fechada da Europa com 707 hectares. Fundado em 1662 pelo vice-rei da Irlanda James Butles em nome do rei Charles II. Cerca de 30% do parque é coberto por árvores que em sua maioria são espécies de folhas largas como carvalhos, freixos, sicômoro entre outras. Uma grande quantidade de veados vive no parque desde 1660, quando foram introduzidos pelo Duque de Ormond. O parque também é um santuário para muitos mamíferos, aves e até animais selvagens que podem ser encontrados em algumas áreas como a Furry Glen, uma área de conservação ambiental.

Áras na Uachtaráin é a residência do Presidente da Irlanda desde 1750 que está localizada no centro do parque, tem como vizinha, a casa do embaixador dos Estados Unidos, construída em 1774. Muitos outros monumentos e edifícios históricos estão localizados no Phoenix Park.

O parque abriga também o Zoológico de Dublin que conta com mais de 400 animais em uma área de aproximadamente 28 hectares e oferece atrações diárias para os visitantes, lojas e praças de alimentação. O horário de funcionamento do zoológico varia de acordo com a época do ano e pode ser acessado clicando AQUI.

 

O Phoenix Park é um ótimo lugar para fazer um passeio no final de semana, uma caminhada diária, um passeio de bicicleta. Por todos os lados é possível ver famílias ou grupos de amigos brincando ou fazendo um picnic. É praticamente impossível conhecer todo o parque em apenas um dia, por isso, organize seu tempo e dê uma passadinha pelo parque sempre que puder. Com certeza o Phoenix Park é um cenário perfeito para fotos sensacionais e a visita vale muito a pena. =)

 

Se você gostaria de passear de bicicleta pelo Phoenix Park mas não tem uma bicicleta, utilizar a Dublin Bikes não é a melhor opção. Você pode alugar as bicicletas do Phoenix Park por um preço bem baixinho.

2 horas: 5 euros   –   Toda a tarde: 8 euros   –   O dia todo: 10 euros

Você pode ver mais sobre o aluguel de bicicletas no Phoenix Park clicando AQUI.

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

O que você sabe sobre Dublin?

conheca-dublin

Se você está pensando em fazer seu intercâmbio na Irlanda, é fundamental que conheça um pouco do país. Pra ajudar nessa tarefa, o Dublin Aqui Vou Eu irá sempre fazer uma postagem apresentando alguma atração da cidade ou passando alguma informação cultural interessante. Dublin é uma cidade recheada de atrações e a Irlanda é um país impressionante! Tenho certeza que você irá se apaixonar cada vez mais por esse lugar.

Porque não começar hoje lendo um pouco sobre Dublin na seção “Conheça Dublin” ? É só clicar AQUI.

Isso é só um pedacinho do que está por vir no blog. Fique ligado! :)

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com