Quer Aprender? Comece a Cantar!

blog_titulo_cantar

Se você é um intercambista que não canta no chuveiro, acho melhor começar a aquecer as cordas vocais. Segundo uma pesquisa realizada no ano assado pela psicolinguista portuguesa Fernanda Ferreira, cantar em um outro idioma ajuda e muito no aprendizado da língua.

Em um teste, foram selecionados ao acaso 66 adultos que foram submetidos a três métodos de aprendizados diferentes que consiste em escutar e repetir: Falar, falar com ritmo e cantar. A intensão era observar quais dos participantes aprenderia o idioma húngaro com maior facilidade. Após 15 minutos de teste os participantes que cantaram tiveram uma absorção muito maior de todo o conteúdo do que os participantes que falaram com ou sem ritmo.  Eles também foram capazes de repetir frases em húngaro com mais precisão e facilidade. As diferenças nos resultados não levam em conta fatores como idade, capacidade de memória fonológica, conhecimentos musicais, entre outros.

Com isso, fica comprovado que o método de escutar e cantar facilita a memória verbal para frases em outro idioma.

“Esse estudo nos dá a primeira evidência experimental de que um método de audição e repetição através da música pode favorecer o processo de aprendizagem de uma língua estrangeira, além de abrir as portas para os estudos nessa área. A questão é se a melodia pode servir como um empurrão para ativar a memória da pessoa, ajudando-a a lembrar das palavras e frases estrangeiras com mais facilidade” comenta a Dra. Karen M. Ludke, doutoranda do Instituto de Música no Desenvolvimento Humano e Social da Universidade de Edimburgo.

 

 

 

Encontrou algum erro ou gostaria de acrescentar alguma informação importante à este post?! Envie suas sugestões para contato@dublinaquivoueu.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>